Lideranças do Primeiro Comando da Capital (PCC) envolvidas em ataques a ônibus e prédios públicos no estado foram alvo na última quinta-feira, 5 de julho, de uma operação conjunta do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), das polícias Civil e Militar e da Secretaria de Administração Prisional.

Em coletiva realizada na Procuradoria-Geral de Justiça, em BH, representantes dos órgãos informaram que foram cumpridos 26 mandados de busca e apreensão em Ituiutaba, Contagem, Passos, Uberaba, Uberlândia, Guaxupe, Patrocínio, Três Corações, Cambuí, Pará de Minas, Alfenas, Itaú de Minas e Bom Repouso. Durante a ação, foram apreendidos celulares, computadores, anotações do tráfico e da organização criminosa e drogas. Três pessoas foram presas.

Continua após a publicidade

No dia 21 de junho, o MPMG, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da 13ª Promotoria de Justiça da capital, já havia oferecido denúncia, à 2ª Vara de Tóxicos da Comarca de Belo Horizonte, contra 28 pessoas pela prática dos crimes de organização criminosa com emprego de arma de fogo, associação para o tráfico, incêndio em edifício público e veículo de transporte coletivo, por nove vezes, e dano qualificado.

Segundo o Gaeco, os 28 denunciados são membros da cúpula do Primeiro Comando da Capital (PCC) em Minas Gerais e ocupam função diretiva na organização. Deles, 25 encontram-se presos em 10 estabelecimentos prisionais localizados no estado, incluindo as três pessoas presas na operação desta quinta-feira. Um dos alvos está recolhido no Presídio Federal de Campo Grande. Conforme o Gaeco, os outros dois denunciados soltos são foragidos e não têm endereço conhecido, razão pela qual não foi requerida medida de busca e apreensão.

Foi determinada ainda pela Justiça a imediata transferência dos presos que se encontram em território mineiro para unidade prisional adequada, onde eles serão mantidos em Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), com isolamento dos demais detentos e restrições a benefícios previstos na Lei de Execução Penal.

A promotora de Justiça Cássia Virgínia Gontijo, coordenadora do Gaeco, dá mais detalhes sobre a operação. Ouça:

Ataques no estado
Conforme dados das forças de segurança do estado, até junho deste ano foram registrados 105 ataques a ônibus, delegacias e prédios públicos em 40 cidades mineiras. Foram presas 90 pessoas envolvidas nesses crimes, e apreendidos 16 adolescentes.

Segundo o Gaeco, as investigações continuam no interior do estado para responsabilização dos executores e de outros envolvidos nos ataques criminosos praticados.


Comments are closed.