Mais um ônibus foi incendiado na região metropolitana de Belo Horizonte, na madrugada deste sábado (14), no KM 17 da rodovia MG-010, altura do bairro Morro Alto, em Vespasiano. De acordo com o comandante do 36º Batalhão da Polícia Militar (PM), tenente-coronel Edésio Amorim Anacleto, os criminosos deixaram um bilhete reclamando do cancelamento de visitas aos presos da Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, também na região metropolitana.

O motorista do coletivo, Hércules de Assis Rosa, de 39 anos, da linha 5805, que atende o bairro Caieiras, contou à PM que trafegava pela via marginal da rodovia, sentido Aeroporto Internacional Tancredo Neves, quando um homem deu sinal para ele parar e entrou pela porta da frente. O homem, que o motorista não informou se estava armado, segundo a PM, o obrigou a abrir a porta traseira.

Outros dois homens, um deles encapuzado, entraram pela porta traseira com galões e jogaram combustível e atearam fogo ao veículo. Antes, eles mandaram o motorista e 20 passageiros descerem. Ninguém ficou ferido.

Continua após a publicidade

O tenente-coronel Edésio conta que ele e mais 36 policiais tinham acabado de encerrar uma operação na entrada de uma favela da região. Eles voltavam para o batalhão e militares de uma das viaturas foram atraídos pela fumaça do ônibus sendo queimado. Quando chegaram ao local, os criminosos já tinham fugido em direção ao bairro São Cosme, em Santa Luzia.

Os militares fizeram rastreamento e dois adolescente de 16 anos, que saíram correndo quando perceberam o carro da PM, foram detidos. Os dois não foram reconhecidos pelo motorista e passageiros do coletivo, sendo liberados.

O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas as chamas se alastraram rapidamente e o veículo ficou totalmente destruído. A Polícia Militar Rodoviária (PMRv) informou que o trânsito na MG-010 não chegou a ser afetado. A perícia foi concluída às 3h da madrugada e a carcaça do veículo recolhida pela Viação Saritur.

O bilhete foi apreendido e levado para Delegacia de Plantão de Vespasiano. O crime será apurado pela Polícia Civil. A reportagem não conseguiu falar com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de BH e Região (Setra-BH) para saber se a linha 5805 sofrerá alteração depois desse ataque, como suspensão ou redução do número de veículos circulando.

De acordo com a PM, já são pelo menos 77 ônibus queimados em Minas Gerais e 124 pessoas presas ou apreendidas, além de armas de fogo, materiais para queima e celulares.

Visitas não foram suspensas, diz Seap

A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) informou que não houve suspensão de visitas no Complexo Penitenciário Nelson Hungria (CPNH). “A rotina da unidade segue sem alterações”, disse. A Seap informa também que os casos de ataques a transportes coletivos são investigados pela Polícia Civil e até a finalização dos inquéritos não é possível vincular o ato de vandalismo ao sistema prisional.

Atualizada às 12h48.


Comments are closed.