divulgação

Logo após o período da puberdade, muitas pessoas acreditam que a acne irá desaparecer e não voltará a causar incômodos. Porém, com as diversas situações do cotidiano e algumas disfunções no organismo, as temidas espinhas podem voltar a surgir. Um estudo realizado pela Universidade Livre de Berlim, na Alemanha, mostrou que um hormônio associado aos picos de estresse, pode estimular a produção de glândulas sebáceas e ser uma causa potencial dos problemas cutâneos.

Segundo uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD, um em cada três pacientes possuía problemas com acne com fundamentos emocionais, sendo os principais: estresse, ansiedade e depressão. Drª Teresa Noviello, dermatologista e membro da SBD, explica as possíveis razões da doença se aplacar comumente após os vinte e um anos de idade: “Há muitas razões que justificam o aparecimento e complicações da acne na vida adulta. A principal delas advém das alterações hormonais somados a fatores de estresse. Nas mulheres, um dos principais problemas associados à acne é o ovário policístico”.

O psicológico abalado pode fazer com que o organismo produza uma quantidade grande de cortisol, conhecido como o maior hormônio do estresse. “Outros fatores também influentes são os hormônios androgênios que, quando estão em desequilíbrio, podem levar a um aumento da oleosidade da pele através do estímulo das glândulas sebáceas”, explica Teresa. Em todos os diagnósticos, o tratamento deve ser acompanhado de um dermatologista apto para tratamento do problema. Agregado à posologia de antiandrogênico para o tratamento da acne, há prescrição de produtos, como ácidos, peeling e protetores solares, e procedimentos, como peelings químicos, mascaras e limpeza de pele. Alguns cuidados caseiros também podem ser adotados, como:

Continua após a publicidade

– Lavar o rosto com sabonete adstringente ou indicado para a pele (2 vezes ao dia);

– Evitar o contato de água quente com a pele, para evitar a produção da oleosidade;

– Não espremer cravos e espinhas, pois pioram a inflamação;

– Evitar esfoliar a pele; acnes inflamadas tendem a piorar quando expostas após uma esfoliação.

Teresa Noviello – CRM 36821

Dermatologista, Teresa Noviello é graduada em medicina pela Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, realizou residência em Clínica Médica pela Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais – FHEMIG e em Dermatologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO. É Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD e Regional MG .


Comments are closed.