Foto: Juarez Rodrigues / EM D.A Press

Não foi com vitória, mas o Cruzeiro garantiu sua classificação às quartas de final da Copa do Brasil ao empatar por 1 a 1 com o Atlético-PR, nesta segunda-feira, no Mineirão, pelo jogo de volta das oitavas de final. O time celeste abriu o placar já aos 40min do segundo tempo com o meia Arrascaeta, confirmado como titular pelo técnico Mano Menezes depois de disputar a Copa do Mundo pela Seleção Uruguaia. O Furacão buscou o empate nos acréscimos, em bela jogada do atacante Bergson, que chapelou Dedé antes de bater firme para o fundo das redes. A Raposa assegurou a vaga por ter ganhado o duelo de ida por 2 a 1, no dia 16 de maio, na Arena da Baixada, em Curitiba.

Com vaga garantida na próxima fase, o Cruzeiro embolsará R$ 3 milhões em premiação oferecida pela Confederação Brasileira de Futebol. Já são R$ 5,4 milhões acumulados, contando a quantia recebida pela presença nas oitavas (R$ 2,4 mi).

Continua após a publicidade

O adversário do time celeste nas quartas será o Santos. O jogo de ida acontecerá na Vila Belmiro, às 19h30 do dia 1º de agosto (quarta-feira). O duelo de volta ocorrerá em 15 de agosto, também às 19h30, no Mineirão. Nas edições de 2000 e 2014 da Copa do Brasil, a Raposa eliminou o Peixe nas semifinais. Vale ressaltar que em 2018 não existe a regra do gol qualificado como visitante.

O Cruzeiro agora pensa no clássico contra o América, nesta quinta-feira, às 19h30, no Mineirão. O jogo valerá pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro, competição em que o time ocupa o oitavo lugar, com 18 pontos.

O jogo

Os mais de 44 mil torcedores presentes no Mineirão procuraram apoiar o time, mas também mostraram certo incômodo em função da falta de iniciativa dos jogadores. Como havia vencido o duelo de ida, o Cruzeiro não forçou o ataque diante do Atlético-PR. Pelo contrário: ficou retraído, à espera de um contragolpe. Tanto que o Furacão, segundo o Footstats, registrou 58% de posse de bola na etapa inicial e trocou 74 passes a mais que a Raposa (275 a 201). Só que esse domínio foi estéril. O goleiro Fábio fez apenas uma defesa, em chute rasteiro sem força do atacante rubro-negro Pablo, já aos 36min. O Cruzeiro deu sua resposta aos 44min: Rafael Sobis, de fora da área, soltou uma bomba, e Santos se esticou para espalmar a redonda à linha de fundo. No mais, muitos toques errados, cruzamentos malsucedidos e ensaio de protesto por parte de alguns cruzeirenses.
A proposta conservadora do Cruzeiro poderia ser perigosa, já que o Atlético-PR dependia de um simples gol para vencer o jogo e levar a disputa pela vaga nas quartas de final para os pênaltis. Ciente disso, o técnico Mano Menezes colocou ‘caras novas’ no decorrer do segundo tempo. Primeiro, Raniel entrou no lugar do apagado Thiago Neves. Depois, David substituiu Rafael Sobis. Com as modificações, houve melhora no volume de jogo, e a Raposa chegou a contabilizar 55% de posse de bola. Aos 27min, o lateral-direito Edilson recebeu passe no meio-campo, adiantou a bola e bateu forte no meio do gol. Santos espalmou para a linha de fundo. Aos 32min, Mano colocou Robinho na vaga do já extenuado Rafinha.

Quando a partida se encaminharia para um empate sem gols, o Cruzeiro finalmente fez sua torcida gritar no Mineirão. Após passe de Raniel, Robinho escorou para Arrascaeta, que levou a melhor sobre Paulo André na dividida e chutou rasteiro no canto esquerdo de Santos, aos 40min: 1 a 0. A classificação celeste, entretanto, não veio com vitória. O Atlético-PR buscou o empate já nos acréscimos, aos 46min. Bergson se aproveitou de vacilo da defesa cruzeirense, deu chapéu em Dedé e bateu forte sem chances para Fábio: 1 a 1.

Rafael Arruda – Superesportes

Comments are closed.