Rodrigo Pacheco durante convenção / foto: assessoria

O deputado federal Rodrigo Pacheco (Democratas) foi confirmado como candidato ao governo de Minas durante convenção conjunta do Democratas e do Progressistas que reuniu centenas de pessoas, partidos e lideranças políticas, neste domingo (5), em Belo Horizonte.

Além dele, Ana Paula (PP) foi referendada como candidata ao cargo de vice-governadora, e o deputado federal Renzo Braz (PP), ao Senado, além de nomes para concorrer aos cargos de deputados estadual e federal.

Em seu discurso, Rodrigo Pacheco afirmou sua disposição de apresentar aos mineiros seu nome e suas propostas como a alternativa viável aos grupos políticos que governaram o estado por anos e somente se preocuparam com a alternância no poder e sempre trataram o mineiro “como massa de manobra”.

Continua após a publicidade

Pacheco, que é presidente do Democratas em Minas, declarou que sua candidatura é um dos principais projetos políticos do partido e que se reuniu previamente com ACM Neto, presidente nacional da sigla, e outras lideranças, para tratar justamente do andamento da sua campanha.

“Estão absolutamente comprometidos com o nosso projeto em Minas Gerais, têm muita segurança que nós faremos uma consolidação política em Minas diferente e como nunca se viu antes no nosso estado”, declarou.

Ele destacou que, a partir de agora, o objetivo é continuar mantendo conversas com outros partidos para montar um arco de aliança ainda maior do que já se formou em torno de seu nome. Atualmente, o Avante, o PP, o PTC, além do PRP e do Patriotas, apoiam a candidatura de Pacheco.

“A política de Minas Gerais andou confusa, nos últimos dias, especialmente com o pré-candidato Marcio Lacerda, que teve a sua candidatura frustrada. E os partidos de sua composição agora vão buscar se reagrupar em torno de uma nova candidatura. É esse diálogo que nós temos estabelecer com aqueles que queiram estabelecer uma terceira via no estado podem estar conosco”, declarou.

O candidato declarou que apresentará aos mineiros um plano de governo para tirar o estado da “pior crise da sua história”.

“Temos que entrar em um caminho de reconstrução e reorganização do estado, com propostas efetivas para as pessoas. Não vamos buscar culpados, vamos é apresentar propostas dentro de plano de governo inovador, moderno, criativo e eficiente. Eu conheço a realidade que queremos transformar”, disse.

Para tanto, Rodrigo Pacheco ressaltou ainda que, no plano nacional, “uma boa escolha” do próximo presidente da República será vital para o projeto de transformação de Minas. Segundo ele, a direção nacional do Democratas escolheu um candidato de outra legenda para ser apoiado, mas liberou os diretórios dos estados para fazer as composições que sejam as mais adequadas nas suas realidades locais.

Segundo ele, essa decisão será tomada em conjunto com o grupo político do qual faz parte em Minas.

“O projeto de transformação de Minas Gerais passa, necessariamente, por uma boa escolha do presidente da República. Eu tenho absoluta convicção de que nós vamos fazer a escolha certa, que seja boa para Minas Gerais porque, de fato, eleger o próximo presidente da República é fundamental para o nosso projeto em Minas Gerais”, disse, referindo-se ao alinhamento necessário que o governado do estado precisa ter com o governo federal para conseguir os recursos para Minas.


Comments are closed.