A Máquina

Num reino não muito distante, inventaram uma máquina que transformava homens bons, não muito bons e maus em super-heróis. Ao entrar na máquina, tudo o que eles diziam parecia ser verdade, e toda promessa, digna de ser cumprida sem qualquer suspeita.

Por fora da máquina havia alguns botões. O verde era o mais perigoso: além de soltar um som bem peculiar, transformava a pessoa que o apertasse imediatamente em um palhaço por, pelo menos, 4 anos.

Até que no ano de 2018, algo aconteceu… (esta metáfora terminará de ser escrita nos próximos 4 anos).

Qual é a sua ATITUDE diante do VOTO?

Há anos venho escrevendo e palestrando sobre ATITUDES que fazem você se desenvolver financeira, profissional e pessoalmente. E a minha coluna de hoje não será diferente: falarei sobre ATITUDE.

Mas, antes de continuar, quero esclarecer duas coisas:
1. Não quero e nem vou defender ou ofender nenhum candidato, partido ou posição política.
2. Não quero ofender a maravilhosa arte clown, a qual respeito muito e sou apaixonado. O termo “palhaço” usado acima, nesse caso, é apenas metafórico em face à sua etimologia*.

Vamos lá:
Estamos a poucas semanas das eleições brasileiras. Uma das mais importantes da história, sobretudo pela divisão ideológica que ela vem causando na população brasileira. Muito se fala em RENOVAR, o que será, de fato, uma ATITUDE sábia dos brasileiros.

Mas renovar o que? Presidente, Senadores, Deputados? Sim… prestem atenção: nessa eleição não elegeremos só um presidente – e vice (!!!). Tem mais gente para prestarmos atenção!

Mais que isso, é necessário renovarmos nossa CONFIANÇA e PATRIOTISMO.

Para isso, precisamos ter um papel mais ativo na política… saber em quem estamos votando, analisar suas propostas e, em especial, monitorar os eleitos para que cumpram – sem desvios de ética – aquilo que prometeram em campanha.

Então, o primeiro passo para essa renovação acontecer está na SUA ATITUDE como eleitor: PESQUISE sobre seus candidatos. Conheça seu passado, sua história, suas convicções, seus problemas com a justiça. Veja se ele/ela foi bem profissional (como político ou não) nos cargos que tenha exercido. Veja se suas convicções sobre armas, drogas, família, gênero, propriedade, dentre tantos assuntos polêmicos, “batem” com as SUAS ideologias… não vote naquele/naquela que sabe falar melhor ou porque tem o rosto mais bonitinho. Analise suas propostas e veja se elas são úteis e como elas podem interferir em sua vida.

Acredite no seu direito de voto. O SEU voto é o mais importante de todos – afinal, é SEU. Não desperdice votando em “qualquer um” ou, pior, nem aparecendo nas urnas. Pelo menos no primeiro turno, vote em quem você ACREDITA – independentemente de que posição ele/ela tenha nas pesquisas. No dia 7 de outubro TODOS os candidatos começarão o dia com a mesma quantidade de votos: ZERO. Portanto, todos têm as mesmas chances.

Por último: Não anule nem vote em branco. Isso anula VOCÊ. É lenda esse papo de que se não obter X votos válidos, haverá novas eleições. Anulando ou deixando em branco, você estará dando mais chance a quem estiver na frente. Caso no segundo turno votar em “alguém” seja algo torturante, coloque as propostas dos candidatos finalistas numa balança e vote naquele/a que ficar com um “saldo” melhor, entre as boas e más ideias.

Abraços cheios de cidadania e atitude,

Marcio Zeppelini

Notas de rodapé

*ETIM it. pagliaccio ‘palha triturada, bufão de circo, pessoa pouco séria que se comporta de modo ridículo e com pouca dignidade’


Aprenda como fazer uma 'Amoeba' caseira

Comments are closed.