Um contador de 70 anos foi preso em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, na manhã desta terça-feira (28), suspeito de integrar uma organização criminosa que desviou cerca de R$5 Bi da Receita Federal (RF).

 Dois veículos de luxo, em poder do contador, foram apreendidos.

A ‘Operação Fake Money’ —dinheiro falso, em Inglês— foi deflagrada pela Polícia Federal (PF) em várias cidades do Brasil —ao todo, 130 policiais federais e 74 auditores da RF foram mobilizados.

Continua após a publicidade

A organização criminosa era composta por advogados, empresários e contadores. Os criminosos realizavam o comércio de créditos tributários baseados em títulos da dívida pública prescritos ou falsos, logo, vendiam à empresas para que as mesmas pudessem compensar seus débitos perante a Receita Federal.

Cerca de 3 mil empresas foram beneficiadas pelo esquema criminoso e a princípio, são tidas como vítimas. Até uma cartilha era utilizada pelos criminosos para convencer as empresas de que se tratava de algo lícito.

Os 16 mandados de prisão preventiva e 33 mandados de busca e apreensão foram expedidos para as cidades de Ribeirão Preto, Araraquara, Descalvado, São José do Rio Preto, Mirassolândia, Osasco, Barueri, São Paulo, Uberlândia e Curitiba. Ao todo, no Brasil 14 pessoas foram presas. Dois ainda não se apresentaram, mas ainda não são considerados foragidos.

Os investigados responderão pelos crimes de estelionato, organização criminosa e lavagem de dinheiro —de acordo com cada participação.


Comments are closed.