(Foto/divulgação)

A equipe médica contratada pelo município de Capinópolis através a FAEPU-UFU, chefiada pela Dra. Alice Bertelli, completou na sexta-feira, dai 05, 201 partos realizados em Capinópolis, com o nascimento das crianças Emanuel, Anne Flávia e Benjamim Eduardo (foto).

“Nós estamos celebrando na verdade é a vida. O número não é tão importante, mas para uma cidade deste porte, é um número bem expressivo, nós estamos trabalhando aqui há um ano e oito meses.  A gente fica feliz porque é uma coisa que está dando certo, é uma iniciativa que deu certo, porque as mães vêm, elas ficam felizes de ter os bebês aqui em Capinópolis, não precisam ir para outras cidades, os familiares ficam juntos. Tem dado muito certo, por isso, estamos muito felizes”, disse a Dra. Alice.

O prefeito Cleidimar Zanotto, a primeira-dama Valéria Rampazzo e a secretária de Saúde, Sandra Barbosa, fizeram questão de acompanhar o dia, conversando com os pais, e ouvindo suas ponderações.

“A gente fica feliz, pois estamos procurando dar o melhor atendimento ao nosso povo, sabemos que nem todos os partos são realizados aqui no Hospital, no entanto, as mães recebem todo o apoio e quando necessário são encaminhadas para  centros maiores”, disse o prefeito Cleidimar Zanotto, afirmando que gostaria que o município tivesse condições de manter essa equipe no Hospital constantemente, para que os partos pudessem ser realizados todos os dias e não apenas às sextas-feiras, mas que está fazendo o que é possível, com os poucos recursos que tem.

 Enodes Soares, pai do garoto Benjamim Eduardo, comemora o nascimento de seu filho em Capinópolis.

“Bom demais. Estivemos o tempo todo acompanhando, e eu que sou marinheiro de primeira viagem, fico muito feliz, pois o atendimento foi muito bom, tudo na mais perfeita tranquilidade. Eu agradeço demais a Deus e a todos que nos atenderam tão bem”, disse Enodes.

“É uma alegria ver meu filho nascer aqui em Capinópolis”, diz Enodes Soares

O prefeito Cleidimar Zanotto destacou a competência do trabalho, que há sempre uma equipe de apoio para agir imediatamente quando detectado quaisquer problemas na hora de realização dos partos, conforme aconteceu com a Renata, dando total apoio a qual foi conduzida a Uberlândia através do SAMU, com uma médica o tempo todo ao seu lado. A criança nada sofreu.

“Durante a consulta pré-natal eu concluí que estava tudo tranquilo, apesar dos problemas de saúde da paciente, porém, o que prejudicou foi com referência à placenta, um problema que não foi detectado no ultrasson. Só vimos quando realizamos o parto”, disse a médica.


Comments are closed.