Neri Geller, ex-ministro da Agricultura, foi preso na última sexta-feira pela Operação Capitu
Neri Geller, ex-ministro da Agricultura, foi preso na última sexta-feira pela Operação Capitu

Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu habeas corpus para a libertação de dois presos na operação Capitu, deflagrada na sexta-feira (9) pela Polícia Federal (PF) dentro de investigações por irregularidades no Ministério da Agricultura. As decisões beneficiam Rodrigo Figueiredo e Neri Geller, segundo informações do STJ, e foram tomadas na noite desse domingo (11) pelo ministro Nefi Cordeiro, da Sexta Turma.

Segundo a PF, o esquema investigado envolvia adoção de medidas que beneficiavam o setor de produção de proteína animal. Em troca, integrantes da pasta recebiam propina. Ao todo, foram emitidos 19 mandados de prisão. Entre os alvos estão Antônio Andrade (MDB), vice-governador de Minas Gerais e ex-ministro da Agricultura, e um dos sócios da JBS, Joesley Batista. Ambos negam irregularidades.

O dinheiro entregue aos representantes da pasta era lavado por redes de supermercado de Minas e escritórios de advocacia. Na sequência, conforme as investigações, distribuído para campanha do partido. As irregularidades teriam ocorrido entre 2014 e 2015. Rodrigo Figueiredo foi secretário de Defesa Agropecuária, e Neri Geller foi ministro da Agricultura, sucedendo Andrade na pasta.

Continua após a publicidade

Na argumentação da prisão dos citados, a desembargadora autora da decisão, Monica Sifuentes do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF1), afirma que o pedido de reclusão dos investigados foi justificado pela PF porque alguns dos suspeitos “inibiram a efetiva elucidação dos fatos”.


Comments are closed.