Atualizado às 20h11 de 06/12/2018 — Correção do nome da supervisora da escola

O Café Poético — projeto cultural promovido pela Escola Estadual Sérgio de Freitas Pacheco— levou arte e cultura à Capinópolis. O evento foi realizado no Capinópolis Clube na manhã desta quinta-feira (6).

Obras de grandes escritores — que marcaram a literatura brasileira— foram relembradas pelos alunos em encenações e declamações muito bem ensaiadas.

Continua após a publicidade

Mais de vinte autores tiveram suas obras citadas, entre eles, os mais lidos no ensino médio: Machado de Assis; Guimarães Rosa; Mário Quintana; Cora Coralina entre tantos. Um dos pontos altos do evento foi o destaque à marcante obra ‘Meu Pé de Laranja Lima’ — do autor José Mauro.

O Café Poético também  aproximou o público presente do universo lúdico com a obra de Monteiro Lobato — Sítio do Pica-Pau Amarelo.

Artistas encenam passagem da obra de Monteiro Lobato — Sítio do Picapau amarelo.
Artistas encenam passagem da obra de Monteiro Lobato — Sítio do Picapau amarelo.

O projeto cultural foi idealizado pela professora de língua portuguesa Rosângela Silva, que ressaltou a importância do incentivo à cultura no ambiente escolar. “Inicialmente muita resistência… mas foi necessário paciência, fazê-los acreditar que são capazes, que podem brilhar sempre. Com a ação, perceberam o quão são talentosos. É necessário acreditar nos nossos jovens alunos, propondo ações”, disse a professora.

Além de autores famosos, personagens locais de grande relevância para a educação foram homenageados. Ex-professores de língua portuguesa da Escola Sérgio de Freitas Pacheco foram relembrados, entre eles, a saudosa Ilsa Gonçalves — uma grande incentivadora da cultura brasileira.

Dedé Faustino — aluno do projeto ‘Educação para Jovens e Adultos (EJA)— também foi homenageado. Dedé Faustino iria se apresentar no evento, no entanto, faleceu recentemente.

O projeto — que deve ter novas edições— teve o apoio incondicional da supervisora da escola, Juliene Francisca e da vice-diretora Roselena Alves.

O professora Deibes Feliciano foi cerimonialista do evento.

“Orientamos a leitura, mas são raras as oportunidades em que os colocamos [os alunos] a vivenciar a leitura de forma que os agradam, nesse formato eles podem perceber que a leitura, a poesia , a cultura também podem lhes causar alergias, prazer e paz”, pontuou a professora Rosângela Silva.

Correção: O nome correto da supervisora é Juliene Francisca.

Veja alguns momentos do evento:

Café Poético levou arte e cultura à Capinópolis
Café Poético levou arte e cultura à Capinópolis
Café Poético levou arte e cultura à Capinópolis
Café Poético levou arte e cultura à Capinópolis
Café Poético levou arte e cultura à Capinópolis
Café Poético levou arte e cultura à Capinópolis
Café Poético levou arte e cultura à Capinópolis
Café Poético levou arte e cultura à Capinópolis
Café Poético levou arte e cultura à Capinópolis
Café Poético levou arte e cultura à Capinópolis
Café Poético levou arte e cultura à Capinópolis
Café Poético levou arte e cultura à Capinópolis
Café Poético levou arte e cultura à Capinópolis
Café Poético levou arte e cultura à Capinópolis


Comments are closed.