Silvano Rogério Weber deixou a cadeia no final da tarde (Foto: Flávia Barros – Banda B)
Silvano Rogério Weber deixou a cadeia no final da tarde (Foto: Flávia Barros – Banda B)

Preso em flagrante acusado de tortura contra dois suspeitos de roubo, Silvano Rogério Weber, de 35 anos, deixou a Central de Flagrantes de Curitiba no final da tarde desta quinta-feira (6). Ele foi detido durante a madrugada, após dois homens invadirem sua casa, no bairro Hauer, em Curitiba, para roubarem uma bicicleta.

Em entrevista concedida após deixar a prisão, ele afirmou que não houve qualquer tentativa de tortura. “Eu só fiz o que qualquer cidadão faria pela sua família e, se tivesse que fazer de novo, faria com certeza. Quando vi o roubo, eu persegui, abordei e chamei a polícia. O equívoco foi que soltaram os bandidos e me deixaram aqui. Eu apenas pedi para que eles saíssem do carro e colocassem a mão na cabeça”, afirmou Weber.

Detido por mais de 12 horas, Weber ainda descreveu a dificuldade de permanecer preso. “Até agora eu estava algemado. Foi constrangedor e eu me senti um bandido, o que não sou. Sou um trabalhador que ficou algemado nas pernas e nos braços, enquanto os bandidos foram liberados”, lamentou.

Continua após a publicidade

O alvará de soltura foi expedido pela juíza Anne Regina Mendes. Na decisão, ela converteu o flagrante em prisão preventiva, mas concedeu a liberdade com base na ausência de antecedentes criminais de Weber. Ela ainda determinou medidas cautelares, como o compromisso de comparecimento a todos os atos do processo e recolhimento domiciliar diário após 20 horas, inclusive nos feriados e finais de semana.

Segundo o advogado Diogo Cardoso Mendes, a defesa irá trabalhar para diminuir as restrições, principalmente a que trada do recolhimento domiciliar. “A mobilização é para melhorar a vida dele. É um cidadão, com mãos e dedos pichados com tinta automotiva, e que trabalha em uma empresa reconhecida. Confiamos na Justiça para resolver isso o mais rápido possível”, disse.

O caso

Silvano Rogério Weber foi preso acusado de tortura durante a madrugada. A prisão dele revoltou a esposa Poliana Vilela, de 35 anos. À Banda B, ela contou que por volta da 1h30, eles notaram que ladrões haviam entrado no quintal da residência e levado uma bicicleta. O marido e proprietário da casa ficou acordado imaginando que poderiam voltar.

“Uns 20 minutos depois eles voltaram para roubar mais, imaginamos. Logo que entraram, meu marido entrou em luta com eles. Eles brigaram muito e foram pro lado de fora. Ao mesmo tempo, a gente chamou a polícia que conseguiu prender os dois a alguns metros de casa, ainda com meu marido lutando com eles. Daí, pra garantir o Boletim de Ocorrência, meu marido foi no carro dele até a central de Flagrantes. Chegando lá, o delegado prendeu meu marido por tortura e soltou os ladrões. É inacreditável. Que justiça é essa?”, disse a vítima.

Já a Polícia Civil alega que os indivíduos não permaneceram presos pois não havia qualquer prova em relação a autoria do fato por parte dos conduzidos. Em relação a prisão em flagrante de Silvano Rogério Weber, 35 anos, a polícia informa que ele foi preso suspeito por torturar a dupla conduzida à delegacia, fato confessado pelo próprio Weber. “Ele ainda teria se passado por policial fazendo menção de estar armado, durante a abordagem.

Vale alertar a população que as leis são cumpridas, por isso é importante que as vitimas chamem a Polícia Militar no momento de qualquer crime, sem tentar resolver de maneira pessoal, reagindo ou agredindo o suposto criminoso”, informou a corporação.

Fonte: Rádio Banda B


Comments are closed.