Um esquema criminoso de aposentadorias que lesava o INSS foi desarticulado no ano passado pela Polícia Federal e uma vereadora de Santo André, São Paulo, é suspeita de participação. O caso foi ao ar no programa Fantástico, da TV Globo no último domingo (6) de janeiro.

Em um momento em que se discute uma reforma da previdência, apenas esse esquema criminoso causou prejuízo ao INSS na ordem de R$100 milhões.

___ O texto continua após a publicidade ___

O gabinete da vereadora Elian Santana, do Solidariedade, era utilizado como ‘central’ do esquema. A facilidade no sistema de aposentadoria chamou a atenção de pessoas de todo o Brasil.

Em Uberlândia, um bancário foi aposentado em apenas sete (7) minutos. O bancário, então funcionário do Banco do Brasil, recebeu aposentadoria antecipada por —supostamente— atuar com atividade insalubre.

A vereadora Elian Santana negou ter recebido recursos do esquema criminoso em depoimento dado à Polícia Federal (PF) em novembro do ano passado.

O despachante Adair Saar — que atendia no gabinete da vereadora de Santo André— chegava a cobrar R$15 mil por aposentadoria, segundo as investigações.

“Eu nunca recebi um centavo. Ele falava para mim: ‘Elian, eu tô fazendo tudo dentro do que a lei manda fazer (sic)’”, disse a vereadora em relação ao despachante Adair Saar.

Outras pessoas também figuram como suspeitas no caso de fraude ao INSS. A chefe de gabinete de Elian Santana —Luciene Aparecida Ferreira de Souza— e um funcionário do INSS, identificado como Vitor Mendonça de Souza.

“Eu até consigo comprovar depois isso aí (sic)”, disse Vitor Mendonça aos investigadores durante depoimento.

Neste momento, Elian e Luciene estão em liberdade e aguardando novos passos da investigação. Adair e Vitor seguem detidos


Comments are closed.