Caminhoneiros querem revogação de decreto que proíbe caminhões no bairro Ideal em Capinópolis

O embate entre caminhoneiros e moradores do Bairro Ideal se arrasta há de 20 anos

Caminhoneiros pedem revogação do decreto que proíbe o trânsito de caminhões pelo bairro Ideal (Foto: Paulo Braga/Tudo Em Dia)
Caminhoneiros pedem revogação do decreto que proíbe o trânsito de caminhões pelo bairro Ideal (Foto: Paulo Braga/Tudo Em Dia)

A reunião do Legislativo capinopolense, realizada na noite desta segunda-feira (18) de fevereiro, teve a presença de caminhoneiros e pedidos de revogação do Art. 1º do Decreto nº. 3.471. A Lei Complementar nº. 50/2008 proíbe o trânsito de caminhões pelo Bairro Ideal. O Decreto nº 3.471 proíbe o trânsito de caminhão, caminhão-trator, reboque ou semi-reboque para transporte de cargas em geral, no perímetro urbano.

O embate entre os moradores do Bairro Ideal e produtores rurais da região do Barreiro e cerâmicas que transportam argila, se arrasta há mais de 20 anos, quando o Bairro Ideal foi fundado. O ex-prefeito de Capinópolis — Lucimar Batista Belchior, que teve mandato de 1997 à 2000— desapropriou uma área para a construção da via alternativa de acesso ao Barreiro.

Após o Decreto nº. 3.471 — assinado pela prefeita Dinair Isaac em 11 de setembro de 2012—, os caminhões são obrigados a tomar um desvio na estrada que tem saída na MGC-154, próximo à Aviação Agrícola Buttarello. Os caminhoneiros que desobedecem ao decreto, estão sendo multados.

Segundo o caminhoneiro Vagner De Almeida Rodovalho, mais conhecido como ‘Beto’, há uma grande dificuldade para escoação da safra, já que um ponto ingrime de um trecho da estrada dificulta o trânsito de caminhões carregados. “O caminhão chega no trecho e já começa a patinar e não há excesso de peso, estou com os documentos que provam que o caminhão estava com 32.800 kg de peso e não conseguia subir”, disse o representante dos caminhoneiros mostrando o documento ao Tudo Em Dia. Segundo Beto, os caminhões podem trafegar carregados com um peso de 34 mil quilos.

Os caminhoneiros querem a revogação completa do decreto para poderem trafegar carregados pelo Bairro Ideal. “Não queremos a suspensão, queremos a revogação total do decreto”, salientou o representante dos caminhoneiros.

Questionado sobre as rachaduras nas casas no Bairro Ideal, causados pelos caminhões, o caminhoneiro disse não ser verdade que isso ocorra.

O Tudo Em Dia conversou com uma pessoa que reside no bairro, que só aceitou ceder um depoimento de forma anônima. “Eu só sei que eles continuam desrespeitando as leis. Eu, particularmente, estou pensando até em sair dali, porque não aguentamos mais o barulho do tráfego de caminhões, os estragos que estão causando nas casas e nas ruas”, disse. Ainda de acordo com a fonte, as multas estão surtindo efeito no impedimento do tráfego de caminhões no bairro. “Agora esta mexendo no bolso, aí tá começando valer a lei”, pontuou.

O prefeito de Capinópolis, Cleidimar Zanotto, estuda a possibilidade de negociação para construção de uma outra estrada vicinal para que os caminhoneiros possam escoar a produção agrícola. “Estamos trabalhando para viabilizar a abertura de uma nova via de acesso para escoação da produção. A solução para essa situação deverá emanar do Poder Executivo, juntamente com os proprietários de terras da localidade”, disse o prefeito.

Os vereadores utilizaram a tribuna para abordar o assunto.

ASSISTA AOS PRONUNCIAMENTOS DOS ORADORES INSCRITOS

Os vereadores apresentaram o requerimento 01/2019 para que o Poder Executivo faça a suspensão temporária do Art. 1º do Decreto nº. 3.471 no período de safra e ‘safrinha’. O requerimento foi votado ainda na noite de segunda-feira (18) e aprovado.

(Foto: Arquivo/Tudo Em Dia)
(Foto: Arquivo/Tudo Em Dia)

Mesa diretora do Legislativo Capinopolense (Foto: Paulo Braga/Tudo Em Dia)

Veja as indicações apresentadas na Câmara de Capinópolis na reunião de 18/02/19

(Foto: PM/Divulgação)

Bandidos armados metralham viaturas e explodem banco no Piauí