Capinópolis ainda não atingiu meta de vacinação contra a gripe

reprodução
reprodução

O sinal de alerta está aceso em Minas Gerais. O vírus H1N1 — que provocou uma pandemia há dez anos—, circula pelo estado mineiro e provoca mortes. Em Capinópolis, no Pontal do Triângulo Mineiro, a meta de imunizar o grupo prioritário não foi atingida.

Segundo a Secretaria de Saúde de Capinópolis, cerca de 545 pessoas dos grupos prioritários ainda não procuraram a unidade de saúde para serem imunizadas.

Em Uberlândia — há 163,1 km de Capinópolis e 542,9 km de Belo Horizonte—, 1 caso de infecção por H1N1 já foi confirmado. A informação foi divulgada na última sexta-feira (24) de maio por meio do Informe Epidemiológico da Gripe, da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Ainda na região do Triângulo Mineiro, duas confirmações por Influenza A no município de Fronteira.

Na capital do estado, três mortes por H1N1 já foram confirmadas em 2019.

A campanha termina hoje (31) de maio, mas deve ser prorrogada em todo o Brasil.

Devem se vacinar os idosos com 60 anos ou mais de idade, gestantes, mulheres até 45 dias após o parto, trabalhadores da saúde, professores das escolas públicas e privadas, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade cumprindo medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional, além de crianças de 6 meses até 6 anos.

A falta de informações na imprensa tradicional e as notícias falsas (fake news) espalhadas em aplicativos como WhatsApp, contribuem para a baixa adesão.

Segundo a Secretária de Saúde do Município de Capinópolis e Executiva do COSEMS/MG, Sandra Barbosa, a vacinação é a melhor prevenção.

“A vacina é a melhor prevenção. É segura, não dá nenhuma reação a não ser dor local. Ela evita a gripe tipo A (gripe normal) que também pode evoluir para óbito em crianças e principalmente idosos. E evita também a H1N1 que é a mais agressiva e que leva ao número maior de internações, complicações e óbitos nós grupos já descritos pelo MS”, afirmou a secretária.

As falsas notícias apontam — de forma irresponsável— que muitos pacientes foram infectados pelas vacinas contra a gripe.

“Se o paciente estiver apresentando febre não é indicado a vacina.
Muitas pessoas reclamam que tomaram a vacina é logo depois adoeceram, ficaram gripado. Isso acontece porque o vírus já estava no organismo da pessoa, não por causa da vacina”, orientou Sandra Barbosa.

Desde que assumiu a secretaria de saúde no governo do prefeito Cleidimar Zanotto, Sandra Barbosa transformou o cenário caótico da saúde pública em Capinópolis.

Na última sessão ordinária da Câmara Municipal de Capinópolis, realizada no dia 26 de maio, o vereador Edward Sales pontuou que “a saúde pública no município de Capinópolis é uma das melhores da região do Triângulo Mineiro”.

Alunos fazem manifestação a favor da campanha ‘Maio Amarelo’ em Capinópolis

‘Arte na Praça’ leva artesanatos de alta qualidade a Capinópolis neste sábado (01) de junho