Alienação Parental e o sofrimento dos filhos no divórcio dos pais

A alienação parental ocorre quando um dos genitores ou responsável legal pela criança ou adolescente a proíbe de ver seu outro genitor ou responsável legal, faz chantagem, manipula, tenta colocar a criança ou adolescente contra o pai ou a mãe

De acordo com as estatísticas, o número de divórcios tem aumentado consideravelmente nos últimos anos e os motivos que levam os casais a tomarem essa decisão são diversos. Casais em processo de separação que possuem filhos devem priorizar o bem estar dos mesmos durante esse processo para que não haja prejuízos no desenvolvimento da criança.

Entretanto, alguns casais não conseguem resolver suas questões de forma amigável e passam a fazer o que chamamos de alienação parental, gerando consequências na rotina e saúde dos filhos.

De uma forma mais clara a alienação parental ocorre quando um dos genitores ou responsável legal pela criança ou adolescente a proíbe de ver seu outro genitor ou responsável legal. Neste processo, há chantagem, manipulação, tentativa de colocar a criança ou adolescente contra o pai ou a mãe, dificultando visitas, omite informações a respeito dos filhos, apresentando denúncias falsas contra o outro genitor. Essas ações depreciativas tem o objetivo de dificultar a convivência da contraparte com os filhos. A alienação parental busca causar repudio ou prejuízo ao estabelecimento ou manutenção de vínculos da criança com um dos genitores.

A alienação parental traz inúmeras consequências psicológicas para crianças e adolescentes que passam por essa situação, pois além do sofrimento normal devido a separação e mudança de rotina a criança ou adolescente sofre com as constantes brigas entre seus genitores e a interferência psicológica por parte de um deles.

Consequências

As consequências geradas pela alienação parental podem envolver sintomas como culpa, ansiedade, agressividade, depressão, dificuldade de aprendizagem e somatizações.

Embora os pais estejam separados, a criança continua tento mãe e pai e a convivência saudável entre eles é de extrema importância para que os filhos passem por esse processo da melhor forma possível. Mesmo os pais estando separados ainda existe um vínculo entre eles que são os filhos e isso deve ser o fator mais importante em um processo de separação, afinal o que pode ser mais importante que o bem estar e a felicidade dos filhos?

É preciso ter consciência e zelar pelo bem estar daqueles que ainda não tem maturidade o suficiente para entender esse processo e precisa da ajuda e apoio dos pais. Além disso, ao praticar alienação parental, não se prejudica apenas o outro genitor, mas também a criança que nada tem a ver com os problemas pessoais de seus pais.

Crianças precisam de amor e proteção, essa é um responsabilidade dos pais, estejam eles juntos ou não.

Leia mais artigos de Daniela Cortes

A posicionamento de colunistas não representa, necessariamente, a opinião do jornal Tudo Em Dia.

Casa de Cultura de Canápolis realiza evento ‘culinária e patrimônio 2019’