Bombeiros apagam incêndio de grandes proporções próximo ao ‘Trevão’

(Foto: Bombeiros/Divulgação)
(Foto: Bombeiros/Divulgação)

Na tarde dessa sexta-feira, 13 de setembro, o 2º Pelotão de Bombeiros Militar de Ituiutaba foi acionado para apagam um incêndio de grandes proporções próximo ao Trevão. O incêndio ultrapassou o limite de Ituiutaba atingindo também a cidade do Prata.

O incêndio atingiu fazendas; APP – Área de Preservação Permanente; margens de rodovias; área de cultivo de cana-de-açúcar; ameaçando incendiar residências, celeiros, estufas, granjas, automóveis, dentre outros;
Prontamente o Corpo de Bombeiros se dirigiu ao local, com o apoio de caminhões-pipa disponíveis na região e fazendeiros para realizarem o combate em uma força tarefa.

Aplicando técnicas de combate a incêndio florestal, os Bombeiros conseguiram conter as chamas após horas de combate intenso. O clima seco com a temperatura quente, juntamente com os fortes ventos contribuíram para o alastramento do incêndio.

(Foto: Bombeiros/Divulgação)
(Foto: Bombeiros/Divulgação)

De acordo com testemunhas, um fazendeiro da região contou que colocou fogo no lixo em sua fazenda, porém acabou perdendo o controle do fogo, transformando-se nesse incêndio de grandes proporções.

A Polícia Militar de Meio Ambiente foi acionada após essas denúncias e investiga o caso de crime ambiental.

Estima-se que uma área de 100 hectares tenha sido atingida pelo fogo. Os danos materiais, juntamente com o prejuízo à fauna e à flora são incalculáveis. Diversos animais foram encontrados queimados durante o combate as chamas, que alcançaram labaredas de até 15 metros de altura.
O Corpo de Bombeiros lembra a população que na lei dos crimes ambientais (lei nº 9.605/1998), também há previsão específica de penalidade, no artigo 41, para quem provocar incêndio, a pena é de detenção de seis meses a um ano, e multa.

O artigo 250 do Código Penal também estabelece, para quem provocar incêndio, expondo a perigo à vida, à integridade física ou ao patrimônio de outras pessoas, possibilidade de reclusão de três a seis anos, e multa.
Bombeiro Militar, o amigo certo nas horas incertas.

(Foto: Bombeiros/Divulgação)
(Foto: Bombeiros/Divulgação)

Polícia procura assassino do lençol em Uberaba

Jovem mata empresário de 43 anos em Uberlândia com régua de construção civil