Saiba lidar com crianças com Transtorno Opositivo Desafiador – TOD

Os pais, por vezes, chegam a se sentir intimidados perante o comportamento agressivo da criança com TOD. Lidar de forma adequada é a melhor solução

 Transtorno Opositivo Desafiador - TOD (Imagem: Tudo Em Dia)
Transtorno Opositivo Desafiador – TOD (Imagem: Tudo Em Dia)

O Transtorno Opositivo Desafiador – TOD é caracterizado por um padrão global de desobediência, comportamento hostil e desafio.

Não é difícil nos depararmos com crianças desobedientes, impulsivas e que fazem birra como frequência. Comportamentos opositivos temporários como esses fazem parte do desenvolvimento das crianças em determinada faixa etária, entretanto é preciso ficarmos atentos.

A criança ou adolescente com TOD discute demasiadamente com adultos, não se responsabiliza por sua má conduta, tende a culpar fatores externos ou pessoas por seu comportamento agressivo e hostil, apresenta muita dificuldade em obedecer regras, e perde facilmente o controle quando as coisas não saem conforme planejou. São crianças ou adolescentes que não sabem lidar com a menor frustração. Além disso, as crianças ou adolescentes com TOD costuma apresentar comportamento ressentido, mostrando-se muitas vezes como rancor e ideias de vingança.

Os pais por vezes se sentem intimidados perante o comportamento agressivo da criança devido à dificuldade em lidar com a situação, o que pode gerar a impressão de que é mais fácil desistir do que tentar contornar a manifestação de raiva da criança.

Porém quando não tratado, o transtorno pode evoluir para outros problemas de conduta na adolescência. Do mesmo modo, ao aprender a lidar com suas emoções e tendo o apoio de pais e responsáveis é possível amenizar a situação.

Conviver com crianças ou adolescentes com TOD, em geral, é uma tarefa muito difícil, pois argumentam a cada ordem, são difíceis de se convencer ainda que a lógica mostre que suas opções e escolhas estão claramente equivocadas.

Devido os comportamentos hostis, desafiadores e agressivos, essas crianças e adolescentes frequentemente são discriminadas, perdem amigos, oportunidades e até deixam de ser convidadas para festas e passeios inclusive familiares.

Sintomas do TOD de acordo com o Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais – DSMV.

  • Acessos de raiva frequentes
  • Discute com frequência com adultos, particularmente com adultos que fazem parte de sua rotina, como pais, parentes e professores Recusa-se a trabalhar em grupo
  • Não aceita ordens
  • Não realiza deveres escolares
  • Não aceita crítica
  • Tem baixa autoestima
  • Quer tudo ao seu modo
  • Perturba outros alunos
  • Responsabiliza os outros por seu comportamento hostil
  • É frequentemente rancoroso ou vingativo
  • Demonstrou comportamento rancoroso ou vingativo pelo menos duas vezes nos últimos seis meses.

Ao perceber os sintomas, os pais devem procurar ajuda profissional, incluindo psicólogo, psiquiatra ou neuropediatra.

O tratamento do TOD é multidisciplinar exigindo auxílio médico, psicológico e suporte escolar. Além do mais, para eu seja mais eficaz, é necessário que filhos e pais estejam inseridos nessa dinâmica, pois é necessário reparar o relacionamento entre o adulto e a criança, desse modo, todos precisam mudar seus padrões de comportamento para então compartilharem de uma relação saudável.

Como lidar com o Transtorno Opositivo Desafiador

Seja objetivo e claro em relação as regras – Olhe nos olhos da criança, evite agressividade e mantenha uma postura firme. Isso irá ajudar a diminuir o comportamento de oposição e a compreender a importância de se respeitar as regras e figuras de autoridade.

Seja exemplo – Os adultos servem de modelos para as crianças que tendem a reproduzir o comportamento dos pais. Portanto, um ambiente familiar organizado e afetuoso proporciona referências saudáveis para a criança.

Elogie mais – Muitas vezes os pais castigam constantemente as crianças e estes se mostram ineficazes. É mais viável elogiar os acertos e ressaltar as características positivas da criança.

Interagir energicamente com a criança num momento de agressividade pode fazer com que a situação saia do controle. Tente fazer com que ela entenda que seu comportamento não está adequado e que ela pode agir de outra forma, porém de forma calma e clara.

Ao lidar com uma criança ou adolescente com TOD, tenha em mente que ela convive com uma condição de saúde que precisa de apoio, afeto e orientação profissional e lembre-se que ela não tem culpa de viver essa situação.

Leia mais artigos de Daniela Cortes

A posicionamento de colunistas não representa, necessariamente, a opinião do jornal Tudo Em Dia.

#Transtorno Opositivo Desafiador, #danielacortes, #artigo, #tudoemdia,

Câmara Municipal de Capinópolis tem agenda oficial em Brasília

Assaltantes que invadiram Sicoob em Capinópolis são presos