vereador preso
Vereador Wilson Pinheiro (PP)

O vereador Wilson Pinheiro (PP), de Uberlândia (MG), que se exibiu nas redes e em evento de apoio à Lava Jato e ao ministro da Justiça Sergio Moro com uma camiseta onde se lê “Lula tá preso, babaca”, foi preso na manhã desta sexta-feira (26) durante a Operação “Poderoso Chefão”, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Pinheiro, no entanto, cumpre prisão domiciliar, com tornozeleira eletrônica, concedida pela Justiça pois ele alega que estaria se recuperando de uma cirurgia. Em razão da prisão, o vereador teve o mandato suspenso na Câmara municipal.

Segundo o MPMG, a Operação “Poderoso Chefão” investiga uma organização criminosa que atua no desvio de recursos públicos vindos de contratos de prestação de serviço público municipal de transporte de alunos.

O vereador Wilson Pinheiro (PP) é o líder do governo na Câmara. Contudo, segundo o prefeito Odelmo Leão (PP), ele não tem a pretensão de alterar o líder na Casa. 

CCAA Capinópolis

O Gaeco apura crimes de organização criminosa, peculato e lavagem de dinheiro por dirigentes e empresas com ligação à Cooperativa dos Transportadores de Passageiros e Cargas (Coopass) e à ATP, prestadoras de serviço de transporte escolar à Prefeitura.

Câmara de Uberlândia suspende mandato dos 3 parlamentares presos

A Câmara de Uberlândia também decidiu, na noite desta sexta (25), suspender o mandato dos três vereadores presos nas operações “Poderoso Chefão” e “Torre de Babel”: Wilson Pinheiro, Alexandre Nogueira (PSD) e Juliano Modesto (SD). 

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis
Ouça o podcast do Tudo Em Dia: