PMMG conclui inquérito sobre criança que morreu em creche

(Foto: Bhaz)
(Foto: Bhaz)

A morte de uma criança de um ano de dois meses, no dia 27 de agosto, em uma creche da região do Barreiro, em Belo Horizonte, teve seu inquérito concluído pela Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG).

Diversas testemunhas como familiares, funcionários da creche onde tudo ocorreu e profissionais de saúde que foram responsáveis pelo socorro da criança, foram ouvidas durante as investigações.

A dona de 63 anos do Hotelzinho Talento e Tolero, e duas funcionárias de 37 e 40 anos de idade foram indiciadas por homicídio culposo — quando não há intenção de matar.

A morte

A polícia civil concluiu que, após ter sido alimentada, a criança foi colocada para dormir, e em algum determinado momento teria vomitado e se asfixiado.

Segundo a polícia, o laudo do IML, apontou a existência de resíduos de material vegetal no pulmão da criança.

De acordo com a delegada, a criança foi alimentada 11h30, tomou meia mamadeira e depois comeu uma fruta, e foi colocada para dormir às 15h50. Às 16h, foi efetuada a troca de turnos das funcionárias. “Por volta das 17h, quando foram tirar a criança para dar o banho, perceberam que ela não estava respondendo, com um quadro de sufocamento. A partir do momento em que a creche se propõe a cuidar das crianças que estão lá, a dona da creche e todos os funcionários assumem esse papel de garantidor. São responsáveis pela integridade física e moral de todas as crianças que estão ali”.

A vítima chegou a ser levada para a unidade de pronto atendimento, mas ao ser atendida, foi constatado que já havia chegado a óbito.

Posto de combustíveis é assaltado em Ituiutaba

O cheque é muito semelhante a um verdadeiro, no entanto, contém erros grosseiros

Golpe com cheque falso é descoberto em Capinópolis após trapalhada