Solenidade dá boas vindas ao ano letivo em Capinópolis

A Secretaria de Educação recepcionou os educadores com palestra motivacional

Educadores das redes estadual e municipal foram recepcionados na manhã de segunda-feira, 03, no Salão ‘João Felippe’. Os profissionais da educação assistiram a palestra ministrada pela coach Cinthia Jacob, com o tema ‘mais que educar, transformar’. O salão de eventos ficou lotado.

Durante toda esta semana os colaboradores do setor da educação participarão de reuniões de planejamento, visando o início das aulas na segunda-feira, dia 10.

A solenidade de recepção dos profissionais visa motivá-los para que a educação continue atingindo os objetivos em Capinópolis.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

“Hoje nós vamos trazer para eles um projeto de desenvolvimento humano para profissionais da educação. Geralmente os profissionais da educação recebem muita formação pedagógica, mas essa parte humana infelizmente não é tão tratada, então hoje não vamos falar para o professor de matemática, para o professor de português. Hoje nós vamos falar para o João, para a Maria, para saber como que ele está como pessoa, desenvolvê-lo como pessoa, porque eu acredito muito que para ensinar, você precisa saber, mas para educar você precisa ser, então nós vamos trabalhar muito a auto estima desse professor, trabalhar o auto conhecimento, as relações, então vai ser um momento que foi preparado com muito carinho, o projeto se chama ‘mais que educar, transformar’, o resgate da missão do educador como agente transformador”.

Pergunta: Explique o que é esse projeto?

Cinthia Jacob: É um projeto que leva o desenvolvimento humano para os profissionais da educação. Nós trabalhamos em diversas secretarias, escolas, principalmente a educação pública para que a gente leve para eles três pilares: que é o desenvolvimento do eu, o auto conhecimento; o desenvolvimento do eles, que é o relacionamento interpessoal, porque hoje o professor lida com pais, alunos, é um nicho de relacionamento muito heterogêneo; e o trabalho em equipe, para que ele entenda que se ele cuidar dele, cuidar do outro, juntos, eles vão ter sucesso no resultado que eles almejarem.

Pergunta: Fale do projeto.

Cinthia: É um projeto de minha autoria, desde 2014. Ele já foi premiado no maior congresso de educação da América Latina e através desse projeto nós criamos palestras, treinamentos e consultorias voltadas para o desenvolvimento humano, então hoje eu tive a felicidade de a Iracilda ter o conhecimento desse projeto e me trazer aqui para falar um pouquinho para os professores em caráter de desenvolvimento humano mesmo. Hoje nós não vamos falar de como dar uma aula, mas de como se preparar para dar uma aula.

Pergunta: Até porque o professor como um formador, se ele não estiver resolvido pessoalmente ele não vai conseguir ajudar da maneira que precisa as crianças?

Cinthia: Completamente. Então o foco da palestra é falar para ele assim: o seu aluno é ser humano, o seu aluno não é um número, ele precisa de cuidados, ele precisa ser encorajado, ele precisa ser inspirado, ele precisa ser transformado. E para que a gente possa fazer isso com o outro, seja com aluno, seja um pai que chega, seja uma liderança, seja um colega de trabalho a gente precisa estar transformado, então a ideia hoje é inspirá-los a acreditar que a educação é a fonte de tudo, é ela que transforma o mundo, é realmente resgatar o brilho nos olhos desse professor, para que ele entenda que todo o conhecimento é inválido se ele não olhar o aluno como ser humano, se ele não entender que ele é a alma do sistema, que o professor quando entra dentro da sala e fecha a porta: é eu e meu aluno, o que eu posso fazer para ajudar esse aluno? Então é nesse sentido que a gente vem falar aqui hoje para eles.

Pergunta: Como você analisa a importância da educação na sociedade atual?

Cinthia: Nossa! É indescritível! Em minha opinião, é fundamental. Nós, como professores, temos uma responsabilidade muito grande, porque participamos da formação do caráter de uma criança, de um adolescente, que é o futuro do país, então a importância é indiscutível. Infelizmente, isso tem se perdido e a gente tenta resgatar no professor, para que ele entenda que não é questão de assumir o papel da família, mas de cooperar com a família, de ter a responsabilidade de falar: eu vou te ajudar! E trabalhar em equipe mesmo, porque às vezes o aluno vem de uma família carente. Carente em formação, enfim, em vários processos, e o professor pode e deve contribuir com essa formação.

Pergunta: Como você avalia hoje o trabalho do professor dentro da sala de aula, como educador, em contraste com as mídias sociais? Vai chegar um ponto em que as mídias sociais vão entrar nas salas de aula, isso é um caminho que eu acho sem volta.

Cinthia: Exatamente. O que eu sempre falo para os professores?: a geração mudou, a educação mudou, o mundo mudou. Então o aluno aprende quando faz sentido para ele. Então aquele plano de aula que eu dava há 5, 10, 15 anos atrás, se tornou inoperante, não é mais válido, e esse é um dos grandes desafios que a gente encontra na formação de professores, porque muito têm já muitos anos de experiência e existe uma resistência à mudança, mas ela tem que acontecer, porque senão o jovem não vai acompanhar, tanto que hoje no Brasil o maior índice de evasão de alunos quando eles param de estudar, é por volta do 7º ano ao primeiro colegial, que é quando eles estão naquela fase jovem de querer opinar, de querer participar, e muitas vezes o professor ainda está naquela geração de o aluno sentar e ouvir, então a tecnologia é muito importante, o professor tem que ter ela como uma aliada, claro, cada um dentro da sua disciplina encontrar a melhor forma, mas ela tem que vir como uma aliada para trazer esse jovem, que não quer mais só sentar e ouvir, ele quer participar, quer ser protagonista, enfim, quer utilizar as ferramentas que ele tem, e nós temos que estar preparados para até auxiliá-lo a utilizar dessas mídias da melhor forma, de forma positiva.

Pergunta: Até porque o professor também tem que estar muito antenado e muito preparado, porque quando a gente era criança, a gente não imaginava as coisas e o conhecimento que tem hoje. Eu tenho um netinho de cinco anos e a ideia dele de espaço, de universo, de planetas, de falar e contar em inglês, ele aprendeu tudo isso nas mídias sociais.

Cinthia: É incrível! Isso que você falou é um ponto muito importante, porque nós quando estudávamos não questionávamos tanto, porque tínhamos o que o professor nos trazia como verdade absoluta. E hoje além de questionar, muitos alunos ainda trazem mais complementos, então o professor tem que ter um nível de maturidade, de inteligência emocional muito grande para ele saber ouvir esse aluno, para ele conseguir direcioná-lo da melhor forma, porque realmente essa geração que está vindo aí vai mudar os rumos do futuro. Nos próximos 10 anos nós teremos pelo menos 50 profissões que ainda não existem. E aí, como vamos auxiliá-los nesse processo? Então realmente o professor tem que ser um conciliador, uma ponte e não um muro dentro da sala de aula.

Pergunta: Como você analisa essa iniciativa da Secretaria Municipal de Educação de Capinópolis, de primeiro se encontrar, reunir os professores, trocar ideias, vamos falar assim: afagar o ego desse professor para que ele entre com pique total no ano letivo?

Cinthia: Sensacional! Estou encantada com o trabalho que é feito aqui, que é desenvolvido, eu quero parabenizar os governantes, a secretária de educação, Iracilda. Estou encantada, porque hoje, nós, que somos formadores, palestrantes, treinadores, nós encontramos uma barreira muito grande para chegar até o professor, porque nós não encontramos gestores que acreditem na formação, que acreditem que é importante ter essa recepção, que acreditem que é importante afagar esse professor, falar para ele: estou com você! Então quando nós encontramos gestores que na verdade nos procuram, que estão sempre procurando trazer o melhor, é digno de aplausos. Recentemente eu fiz uma pesquisa com mais de 400 educadores e eu perguntei a eles: Com qual frequência a sua escola, o seu município, ele leva formação para vocês?  Infelizmente nós tivemos um índice de 83% que disseram que nunca ou raramente, então Capinópolis com certeza está entre aqueles 17% que tem investido na educação e não é a toa que tem recebido tantos prêmios, que tem profissionais engajados, então vocês estão realmente de parabéns!

Após discussão de trânsito, motorista tenta atropelar motociclista em Capinópolis

Câmara Municipal de Capinópolis inicia atividades em 2020