Vigilância sanitária do Rio faz operação em distribuidoras de gelo

Ao menos dois estabelecimentos sofreram interdições em uma operação da vigilância sanitária do município do Rio de Janeiro para inspecionar fábricas e distribuidoras de gelo. A ação busca garantir as condições higiênicas e sanitárias na fabricação e comercialização de gelo, cuja procura tende a aumentar no período de carnaval.

A Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle de Zoonoses informou que um estabelecimento na Ilha do Governador, na zona norte, foi fechado por funcionar como depósito e armazenar os sacos de gelo no chão. Na Lapa, um depósito teve a câmara frigorífica interditada. Na região do centro, foram identificadas seis infrações em oito estabelecimentos, três por falta de higiene e três por ausência de licença.

Durante as ações, os técnicos convocam oficialmente os funcionários e empresários dos locais vistoriados para participar de uma capacitação sobre boas práticas de higiene, que é oferecida pela Superintendência de Educação da Vigilância Sanitária.

Batizada de Abaixo de Zero, a ação faz parte da Operação Carnaval, que está em curso desde 8 de janeiro e já passou por 1,2 mil estabelecimentos. As fiscalizações incluem bares, restaurantes, salões de beleza, estúdios de tatuagem, clínicas médicas, de veterinárias e de estética.

Homicídios diminuíram 21,1% de janeiro a outubro de 2019 no país

Coluna – O legado do professor