Mulher de 28 anos apresenta sintomas do novo coronavírus em Uberlândia

A paciente retornou a Uberlândia no dia 21, após viagem à Itália

Uma mulher de 28 anos está sendo monitorada em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, após apresentar os sintomas da Covid-19, causada pelo novo coronavírus. A paciente retornou da Itália no dia 21 de fevereiro.

A Itália já contabiliza 14 mortos pelo novo vírus.

A paciente de 28 anos foi recebida no Hospital de Clínicas de Uberlândia da Universidade Federal de Uberlândia —HCU-UFU— na tarde da última quarta-feira (26). Os sintomas apresentados pela paciente são — febre, tosse seca, dor de garganta e falta de ar.

O material já foi coletado para exame, no entanto, o diagnóstico que confirma ou descarta a doença é feito na capital mineira, Belo Horizonte.

A paciente segue em suporte clínico e em plano de contingência de coronavírus.

Encontra-se estável, com sinais vitais dentro do limite da normalidade, respira em ar ambiente sem necessidade de oxigênio suplementar, função renal e diurese preservadas e sem febre há 24 horas.

Itália

A maior parte dos casos no país está na Lombardia, no norte do país: 305. Há ainda outros 98 em Veneto, onde fica Veneza; 97 na Emília-Romanha, onde fica Bolonha; 11 na Liguria, onde fica Gênova. As regiões de Marche, Lácio – onde fica a capital, Roma – e Sicília têm 3 casos cada uma.

Proteção

Higienize as mãos

Lave suas mãos frequentemente com água e sabão ou com uma solução de álcool em gel.

Por quê?  Esfregar as mãos ajuda a eliminar traços do vírus que podem estar presentes em lugares de uso comum.

Mantenha distância social

Mantenha pelo menos um metro de distância de pessoas que apresentam tosse ou espirros constantes.

Por quê? A tosse e o espirro propagam pequenas gotas de secreção e saliva que podem conter vírus. Com a proximidade, a chance de respirar ou ter contato essas gotículas aumenta.

Evite tocar os olhos, o nariz e a boca

Evite coçar, esfregar ou ter qualquer tipo de contato com as mucosas. Essas áreas têm contato direto com a corrente sanguínea e são mais sensíveis à presença de agentes de contaminação

Por quê? As mãos estão em contato constante com superfícies que podem ser vetores de transmissão de vírus e bactérias. Mantê-las longe das mucosas diminui a chance de ficar doente.

Pratique higiene respiratória

Tenha boas práticas de higiene respiratória. Isso significa cobrir a boca e o nariz com o braço curvado ou com um lenço de tecido ou papel ao tossir e espirrar. Descarte ou higienize o material usado imediatamente.

Por quê? Gotículas de saliva e secreção são vetores do Covid-19. Evitar que outras pessoas entrem em contato com saliva contaminada evita não apenas o coronavírus, mas uma série de doenças respiratórias.

Em caso de febre ou dificuldade respiratória, busque ajuda médica rapidamente

Não saia de casa se estiver com febre. Se os sintomas persistirem e caso haja dificuldade respiratória, busque atenção especializada imediatamente.

Por quê? Apesar de serem sintomas comuns, uma ação rápida pode evitar problemas mais sérios e o desenvolvimento de sintomas mais graves de infecções respiratórias.

Uso de máscaras

Pessoas saudáveis, sem sintomas como febre, tosse ou espirros não precisam usar máscaras

Por quê? Apenas profissionais de saúde e pessoas que apresentem sintomas parecidos com os do novo coronavírus precisam usar máscaras. A função das máscaras é conter a propagação do vírus em quem já está infectado. A OMS recomenda o uso racional das máscaras.

Fique bem informado e siga os procedimentos do Ministério da Saúde

Por quê? Autoridades nacionais e locais têm a informação mais atualizada sobre a situação de saúde na sua área. Tomar atitudes preventivamente ajuda o sistema de saúde a distribuir e compreender de maneira ágil a disseminação de qualquer doença.

Índice que reajusta aluguéis cai 0,04% em fevereiro

Campeão mundial pelo Grêmio, Valdir Espinosa morre aos 72 anos