Governo do Maranhão descarta um caso suspeito de novo coronavírus

O governo do Maranhão descartou um dos dois casos investigados como suspeitos do novo coronavírus, informou hoje a Secretaria de Saúde do Maranhão. Ontem, a secretaria havia informado que estava monitorando dois casos.O caso descartado é de uma mulher de 49 anos que esteve recentemente na região da Lombardia, na Itália. Os exames da paciente deram positivo para o vírus da Influenza A.

“O caso suspeito de coronavírus identificado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Vinhais foi descartado. Atualmente, a paciente permanece em monitoramento no Hospital Dr. Carlos Macieira, com diagnóstico confirmado para Influenza A”, disse a secretaria.

Já em relação ao outro caso, a secretaria disse que a paciente, uma mulher de 22 anos, que está isolada, continua sendo monitorada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Itaqui-Bacanga, em São Luís, capital do estado. A mulher esteve em Tóquio e Wakayama, no Japão. “Após a coleta da amostra para exame, o Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (LACEN-MA) enviou o material, conforme protocolo, para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo”, diz a nota.

Até o momento, o Ministério da Saúde (MS) informa que 182 casos suspeitos de coronavírus são monitorados no Brasil, com um único caso confirmado da doença no estado de São Paulo. Os dois casos no Maranhão ainda não ainda foram contabilizados oficialmente pelo ministério.

A pasta disse ainda que 71 casos suspeitos de coronavírus já foram descartados em todo o Brasil. De acordo com o mais recente boletim mostrou a seguinte distribuição dos casos pelo Brasil: São Paulo (66), Rio Grande do Sul (27), Rio de Janeiro (19), Minas Gerais (17), Bahia (9), Santa Catarina (9), Ceará (6), Pernambuco (5), Paraná (5), Distrito Federal (5), Goiás (5), Rio Grande do Norte (3), Mato Grosso do Sul (2), Espírito Santo (2), Paraíba (1) e Alagoas (1).

Cuidados

O Ministério da Saúde está considerando como casos suspeitos o de pessoas que apresentarem febre, tosse e dificuldades para respirar, sintomas semelhantes ao de um resfriado e tiveram passagem ou contato com alguém que esteve nos últimos 14 dias pela Alemanha, Austrália, Emirados Árabes, Filipinas, França, Irã, Itália, Malásia, Japão, Singapura, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Tailândia, Vietnã e Camboja, além da China.

Caso manifeste algum desses sintomas é importante procurar atendimento médico imediatamente na unidade de saúde mais próxima. Nos casos considerados leves não há necessidade de internação, com medidas de precaução domiciliar, como evitar o contato com outras pessoas e evitar sair de casa. Já nos casos considerados graves o paciente deve ser encaminhado a um Hospital de Referência estadual para isolamento e tratamento.

Para evitar a proliferação do vírus, o MS recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos;se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool; utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas e limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

EUA e talibãs assinam acordo e tropas devem deixar o Afeganistão

São Paulo registra a primeira morte por sarampo em 2020