Governo e Fiocruz distribuirão 30 mil testes para novo coronavírus

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) está produzindo um teste específico para diagnosticar a presença do novo coronavírus no organismo. A informação foi dada na tarde de hoje (2) no Ministério da Saúde. Nas próximas duas semanas, 10 mil testes serão distribuídos em 14 estados espalhados pelo país. A ideia é acelerar o diagnóstico de maneira precisa em todo o país. No total a Fiocruz produzirá 30 mil testes.

Amazonas, Pará, Roraima, Bahia, Ceará, Pernambuco, Sergipe, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul serão os primeiros a receber os testes. “Esses estados serão os primeiros a realizar os testes. Todos os estados serão capacitados nas próximas duas semanas e dentro de 20 dias teremos todos os laboratórios centrais do Brasil realizando o teste específico para coronavírus”, disse o secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Wanderson de Oliveira, em entrevista coletiva à imprensa.

A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, participou da entrevista coletiva no ministério. “Nós vamos trabalhar nessas duas semanas, ao mesmo tempo na produção dos kits e também no treinamento de todos os laboratórios. Estamos trabalhando juntos com foco no diagnóstico”. Nos últimos dias, o ministério descentralizou a gestão de dados de notificações de casos suspeitos, provocando um crescimento no número de suspeitas de coronavírus no país. Atualmente, são 433. Os dados são atualizados diariamente.

Confirmados

O Brasil continua com dois casos confirmados, ambos em São Paulo. São dois homens, um de 61 anos e o outro de 32 anos. Os dois voltaram de viagem à Itália e apresentaram febre e sintomas respiratórios. Ambos estão em isolamento domiciliar.

Atualmente, o Brasil se encontra na fase de contenção da doença, é a fase que o país toma medidas para evitar que o vírus se espalhe entre a população. Ainda não existem evidências de circulação interna do vírus, uma vez que os dois casos confirmados vieram da Itália, onde quase 2 mil pessoas têm o vírus e outras 52 morreram.

Ainda que não haja circulação interna do vírus, os representantes do Ministério da Saúde têm enfatizado a importância da população tomar as medidas de prevenção. O governo recomenda lavar as mãos com frequência e higienizá-las com álcool em gel, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e descartá-lo e também evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.

Juiz decide que Adélio Bispo não pode continuar em presídio federal

Brasil vai investir R$ 10 milhões em pesquisas do novo coronavírus