Petrobras assina contrato para venda de quatro campos terrestres

Primeira das quatro parcelas da transação foi paga segunda-feira

A Petrobras assinou contrato com a Eagle Exploração de Óleo e Gás Ltda. (Eagle) para venda de 100% de sua participação em quatro campos terrestres localizados na Bacia de Tucano, no interior da Bahia, por US$ 3,01 milhões.

Em nota, a empresa informa que o valor da venda será pago em duas parcelas, uma de US$ 602 mil e outra de US$ 2,408 milhões no fechamento da transação, sujeito aos ajustes devidos. O acordo foi firmado ontem (9) e a primeira parcela, paga no mesmo dia.

O fechamento da transação está sujeito ainda ao cumprimento de condições, como a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Os campos terrestres envolvidos na transação são Conceição, Quererá, Fazenda Matinha e Fazenda Santa Rosa. Eles estão localizados a cerca de 110 quilômetros da cidade de Salvador.

Segundo a Petrobras, no ano passado, a produção média dos quatro campos foi cerca de 26 boe (medida que une barris de petróleo e metros cúbicos de gás) por dia de gás, não havendo produção de óleo. 

A Petrobras esclarece que a divulgação está de acordo com as diretrizes para desinvestimentos da empresa e com as disposições do procedimento especial de cessão de direitos de exploração, desenvolvimento e produção de petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos fluidos, previsto no Decreto 9.355/2018.

“Essa operação está alinhada à otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, visando à maximização de valor para os nossos acionistas”, diz a Petrobras, em nota.

A Eagle é uma empresa brasileira de óleo e gás e é o braço de E&P do Grupo CKL, que tem um portfólio de negócios que cobre todo o território nacional nas áreas de infraestrutura, obras eletromecânicas, concessões rodoviárias, real estate, energia e saneamento. 

Corpo de jovem desaparecido após incêndio em lancha, é encontrado no Rio Paranaíba

Produção industrial cresce 0,9% em janeiro após dois meses de queda