Saiba quais estabelecimentos podem operar, após decreto do Estado de Minas para conter o coronavírus

Romeu Zema, governador de Minas Gerais (Foto: Agência Minas)
Romeu Zema, governador de Minas Gerais (Foto: Agência Minas)

O governador Romeu Zema (Novo) determinou nesta sexta-feira, estado de calamidade pública em Minas Gerais. Agora, por conta da pandemia do coronavírus, o executivo Estadual passa a ter mais poderes sob as prefeituras. (Veja o decreto)

Não podem abrir ou ser realizados:

  • I – eventos públicos e privados de qualquer natureza com público superior a trinta pessoas;
  • II – atividades em feiras, inclusive feiras livres;
  • III – shopping centers e estabelecimentos situados em galerias ou centros comerciais;
  • IV – cinemas, clubes, academias de ginástica, boates, salões de festas, teatros, casas de espetáculos e clínicas de estética;
  • V – museus, bibliotecas e centros culturais.

Podem funcionar:

  • I – farmácias e drogarias;
  • II – hipermercados, supermercados, mercados, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas e centros de abastecimento de alimentos;
  • III – lojas de conveniência;
  • IV – lojas de venda de alimentação para animais;
  • V – distribuidoras de gás;
  • VI – lojas de venda de água mineral;
  • VII – padarias;
  • VIII – postos de combustível;
  • IX – oficinas mecânicas.
  • X – agências bancárias e similares;

Ainda segundo o governador, as restrições devem aumentar ao longo dos próximos dias. Ele pediu cooperação à população e ressaltou a necessidade das medidas.

“A partir de segunda, milhões de pessoas não poderão ir às escolas, ao trabalho e aos comércios. Isso significa uma mudança na rotina, mas temos que mudá-la para salvar vidas”, declarou, dizendo, também, que muitas pessoas parecem não ter tomado ciência da gravidade da situação imposta pela pandemia.

Os decretos expedidos pelos municípios, ficam sobrepostos pelo decreto do Governador de Minas

Os municípios de Capinópolis, Canápolis, Uberlândia e Ituiutaba já haviam publicado seus próprios decretos.

O departamento jurídico do Município de Capinópolis já trabalha neste sábado (21.mar.2020) na adequação de um novo decreto. O Tudo Em Dia divulgará o projeto assim que o mesmo for assinado pelo prefeito Cleidimar Zanotto.

Neste novo decreto, diretrizes para que os comerciantes e a população siga, deverá ser estudado. O Tudo Em Dia entrou em contato com o prefeito de Capinópolis no início da tarde deste sábado. Segundo o prefeito, serão adotadas medidas de segurança, mas que visem minimizar os impactos econômicos ao comércio. A realização da feira livre, que tradicionalmente ocorre aos domingos, está sendo analisada.

A usina sucroalcooleira CRV Industrial, instalada em Capinópolis, prepara uma grande doação de álcool gel, caso a feira seja mantida neste domingo (22.mar.2020) no município capinopolense.

Por volta das 20h40 de sábado, o Ministério Público Estadual (MPE) orientou a CRV Industrial para que não distribuísse o álcool gel na feira livre para evitar aglomerações. A recomendação foi acatada.A empresa estuda uma forma de efetuar a distribuição.

Impactos do novo coronavírus na economia

Boletim de 20 de Março de 2020

Boletim oficial da Secretaria de Saúde de CapinópolisMinas Gerais, sobre os casos de Covid-19, ocasionada pelo novo coronavírus.

  • — Casos suspeitos = 0;
  • — Casos confirmados = 0;
  • — Casos descartados = 1;

A secretária de saúde do Município de Capinópolis, Sandra Barbosa, informou ao Tudo Em Dia que um paciente — que não teve o nome, sexo ou idade revelados— suspeitou que tivesse sido infectado por um parente que esteve em São Paulo. Após análise, o caso foi descartado.

Uma imagem acabou chamando a atenção nas redes sociais. A equipe do SAMU — Serviço de Atendimento Móvel de Urgência— enviou uma mensagem aos capinopolenses. Veja:

Hospital que atendeu Bolsonaro e comitiva deve mostrar lista de quem tem coronavírus, decide juíza

Município de Capinópolis publica decreto com regras mais rígidas para prevenção ao novo coronavírus