Menino de 2 anos engasga com bala e é salvo por policiais militares em Ipiaçu

O pequeno Arthur foi salvo após os militares utilizarem uma técnica conhecida como manobra de Heimlich

Uma criança de dois anos de idade, sufocada por uma balinha, foi salva por policiais militares em Ipiaçu, no Triângulo Mineiro. Os momentos de aflição foram registrados na noite da última terça-feira (31.mar.2020).

Segundo a Polícia Militar, militares faziam ronda na Rua Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, quando visualizaram uma mulher de 45 anos correndo em direção à viatura. Desesperada, a mulher segurava uma criança com um braço e acenava com o outro.

Ofegante, a mulher relatou que seu filho estava engasgado com uma balinha. De forma imediata, o soldado Alexandre Souza Lobo saiu da viatura e pegou a criança no colo. Utilizando técnica de resgate conhecida como manobra de Heimlich, o militar tentava desobstruir as vias aéreas do menino, no entanto, sem sucesso. Vendo a possibilidade iminente da morte do menino, o Sargento José Humberto Dias Batista, comandante da equipe policial, solicitou que o soldado Lobo embarcasse na viatura para buscarem atendimento médico na unidade mista de saúde Irene Theodora de Oliveira.

Dentro da viatura policial, o menino desfaleceu por asfixia. O militar continuou o procedimento de resgate da pequena vítima, provocando uma tosse artificial. Instantes depois, o menino expeliu a bala e voltou a respirar para alívio de todos.

O menino, Arthur Oliveira Barbosa de Medeiros, foi levado à unidade de saúde e ficou sob observação por cerca de 30 minutos.

A atitude heroica dos militares foi recompensada com o agradecimento sincero dos pais do pequeno Arthur e do médico de plantão.

Logo após o ato heroico, Sargento Humberto e soldado Lobo voltaram a patrulhar a cidade.

Manobra e Heimlich

O primeiro passo é deitar a criança sobre o braço com a cabeça um pouco mais baixa que o tronco e observar se existe algum objeto em sua boca que possa ser removido.

Caso contrário, e ela continuar engasgada, deve-se incliná-la, com a barriga sobre o braço, com o tronco mais baixo que as pernas, e dar 5 palmadas com a base da mão nas suas costas. Se ainda assim não for suficiente, deve-se virar a criança de frente, ainda sobre o braço, e efetuar compressões com os dedos médio e anular sobre o tórax da criança, na região entre os mamilos.

Prefeitura de Santa Vitória inicia pagamento dos servidores de forma escalonada

Covid-19: MPE destina recursos para aquisição de respiradores para saúde pública em Capinópolis