‘Está faltando um pouco mais de humildade ao Mandetta’, diz Bolsonaro à rádio

Em entrevista à rádio Jovem Pan, Bolsonaro disse que o Ministro Luiz Henrique Mandetta ‘teria que ouvir um pouco mais o presidente da República’

Foto: Agencia Brasil / Alan Santos PR
Foto: Agencia Brasil / Alan Santos PR

presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (2) que está “faltando humildade” ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e disse que gostaria de determinar a reabertura da atividade comercial no país, mas que ainda não tem apoio popular suficiente para dar uma “canetada”.

“O Mandetta quer fazer muito a vontade dele. Pode ser que ele esteja certo. Pode ser. Mas está faltando um pouco mais de humildade para ele, para conduzir o Brasil neste momento difícil que encontramos e que precisamos dele para vencer essa batalha”​, afirmou em entrevista à Jovem Pan.

Segundo Bolsonaro, o ministro “extrapolou” no enfrentamento da pandemia do coronavírus e teria, em alguns momentos, que “ouvir mais o presidente da República”​.

Foto: Ministério da Saúde
Foto: Ministério da Saúde

Bolsonaro, que havia adotado um discurso mais moderado em pronunciamento na terça-feira (31), voltou a minimizar a pandemia e a defender a retomada de atividades.

“Para abrir comércio, eu posso abrir em uma canetada. Enquanto o Supremo e o Legislativo não suspenderem os efeitos do meu decreto, o comércio vai ser aberto. É assim que funciona, na base da lei”, disse.

“Eu estou esperando o povo pedir mais, porque o que eu tenho de base de apoio são alguns parlamentares. Tudo bem, não é maioria, mas tenho o povo do nosso lado. Eu só posso tomar certas decisões com o povo estando comigo”, afirmou.

O presidente defendeu que, a partir da próxima segunda-feira (6), estados e municípios determinem uma reabertura gradual da atividade comercial, evitando um aumento no desemprego.

Em relação ao ministro da Saúde, que tem manifestado oposição a esse discurso do presidente, Bolsonaro disse: “O Mandetta já sabe que a gente tá se bicando há um tempo”.

Bolsonaro nega, porém, que pretenda demitir o ministro neste momento em que ele ganhou protagonismo no combate à pandemia do novo coronavírus. “O Mandetta já sabe que ele não está se bicando comigo. Já sabe disso. Eu não pretendo demiti-lo no meio da guerra. Não pretendo. Agora, ele é uma pessoa que, em algum momento, extrapolou”, disse.

FolhaPress

TJMG testa novas formas de fazer justiça

Uberlândia confirma dois óbitos por Covid-19