TJMG testa novas formas de fazer justiça

Preocupação é com o cidadão; comunicação é crucial

Com auxílio da tecnologia, magistrados e funcionários do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) vão se organizando para desempenhar suas obrigações remotamente. O desembargador Bruno Terra Dias salienta que o direito não espera e que a liberdade não pode aguardar. Segundo ele, juízes e servidores, guardando o devido cuidado com a preservação da saúde, mantêm as atividades, pois essa é a sua missão.

O desembargador Antônio Bispo, da 15ª Câmara Cível, revela que sua equipe já tinha a experiência do trabalho remoto, mas que a logística melhorou com a ampliação do acervo eletrônico. Ele disse que deseja que, para todos, o período seja de aprimoramento profissional e pessoal.

O juiz auxiliar da 1ª Vice-Presidência, Armando Ghedini Neto, destaca que o recolhimento em domicílio é determinação dos órgãos de saúde pública, e que o TJMG conta com tecnologia para permitir que os operadores do Direito sigam trabalhando. Tais ferramentas de trabalho, além de propiciarem a segurança no momento atual, permitem economia de recursos financeiros e de tempo.

Assista aos relatos

Comunidade amazônica inicia manejo sustentável do jacaré-açu

‘Está faltando um pouco mais de humildade ao Mandetta’, diz Bolsonaro à rádio