Bolsonaro faz pronunciamento após saída de Sérgio Moro

O Ministro Sérgio Moro pediu demissão oficialmente na manhã desta sexta-feira (24.abr.2020)

Presidente Jair Bolsonaro durante pronunciamento nesta sexta-feira (24.abr.2020) | Foto: Reprodução Tv Brasil
Presidente Jair Bolsonaro durante pronunciamento nesta sexta-feira (24.abr.2020) | Foto: Reprodução Tv Brasil

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, fez pronunciamento na tarde desta sexta-feira (24.abr.2020) e falou sobre a saída do ex-ministro Sérgio Moro. Ao lado de Bolsonaro, grande parte dos ministros de seu governo estavam presentes e ouviram o desguarnecido discurso.

O presidente Bolsonaro afirmou que — “autonomia não é sinal de soberania” e que, como presidente, tem “poder de vetos em cargos chave.”

Bolsonaro disse que a PF deu mais ênfase à morte de Marielle Franco do que à tentativa de homicídio que sofreu durante campanha eleitoral de 2018 em Juiz de Fora. ​”Nunca pedi para ele que a PF me blindasse onde quer que fosse.”

O presidente também abordou temas distintos da pauta principal, falando sobre cartões corporativos e de suas despesas.

Mostrando traços de autoritarismo, afirmou que deixará de ser presidente quando tiver de submeter a qualquer um dos subordinados.

Se referindo a Moro, Bolsonaro disparou — “Uma coisa é ter a imagem de uma pessoa, outra é conviver com ela.”

Segundo Bolsonaro, Moro afirmou: “O senhor pode exonerar (Valeixo) em novembro, depois que me indicar para o Supremo Tribunal Federal”.

Valeixo foi exonerado pelo presidente na manhã de hoje. O decreto oficializando a mudança, publicado no Diário Oficial da União (DOU), veio assinado eletronicamente tanto pelo presidente quanto por Moro — que negou ter assinado o documento. 

Sérgio Moro é o nono ministro a sair do governo de Jair Bolsonaro. Moro ressaltou que a Polícia Federal teve autonomia nos governos do PT — partido amplamente investigado por corrupção.

Em meio à quarentena, tartarugas, corujas e jacarés voltaram a aparecer pela cidade do Rio

Capinópolis confirma 1º caso de infecção por Covid-19