Pacientes assintomáticos não impulsionam Covid-19, diz OMS

Chefe da unidade de doenças emergentes da entidade, Maria Van Kerkhove, classificou essa forma de transmissão como ‘muito rara’

Maria Van Kerkhove, chefe da unidade de doenças emergentes da Organização Mundial da Saúde (OMS), afirmou em entrevista que é extremamente rara a a propagação do coronavírus SARS-Cov 2, causador da Covid-19, por meio de pacientes assintomáticos.

“A partir dos dados que temos, ainda parece ser raro que uma pessoa assintomática realmente transmita [o vírus] adiante para um indivíduo secundário”, explicou Van Kerkhove.

Apesar de reconhecer estudos que mostram esse tipo de disseminação — assintomática ou pré-assintomática — em casas de idosos ou ambientes domésticos, a especialista afirma ser necessário mais pesquisas sobre a questão.

A médica reconheceu que alguns estudos indicaram disseminação assintomática ou pré-sintomática em lares de idosos e em ambientes domésticos.

Porém, Van Kerkhove declarou que são necessárias mais pesquisas e dados para “responder verdadeiramente” à questão se o coronavírus pode se espalhar amplamente por pessoas assintomáticas.

Ainda segundo Kerkhove, é necessário traçar todos os contatos que pessoas que desenvolveram a doença tiveram com outros indivíduos.

Com informações da Agência Brasil

Quatro morrem em acidente na BR-365, próximo à Coromandel

PCMG descarta sabotagem em cervejaria Backer, fabricante da ‘Belorizontina’