Deputada Flordelis foi ‘mãe’, ‘sogra’ e esposa do pr. Anderson do Carmo

Anderson do Carmo e a esposa Flordelis | Foto: Reprodução/Facebook
Anderson do Carmo e a esposa Flordelis | Foto: Reprodução/Facebook

Em uma relação confusa e cheia de mistérios, a deputada federal Flordelis foi mãe, sogra e por fim, esposa e suspeita de ser a mandante do assassinato do pastor Anderson do Carmo.

Flordelis, que também é cantora gospel, adotou Anderson do Carmo na década de 90. À época, Anderson convivia com os filhos de Flordelis na favela do Jacarezinho e acabou sendo adotado como filho por ela. Já como filho de criação, Anderson engatou um namoro com a irmã de adoção, Simone dos Santos Rodrigues, filha biológica de Flordelis. Posteriormente, Flordelis e Anderson engataram um relacionamento e, em seguida, um casamento que durou até o assassinato dele no ano passado.

Ao todo, foram detidos na segunda-feira passada cinco filhos e uma neta de Flordelis. A deputada não pôde ser presa porque tem imunidade parlamentar. Dois outros filhos já se encontravam detidos.

Casa de Swing

As investigações apuram ainda onde a deputada e o pastor estiveram na noite do crime. Segundo reportagem do jornal O Globo, a polícia já identificou que o casal não esteve no bairro de Copacabana, como alegado pela deputada, e sim no bairro vizinho, em Botafogo, na zona sul da cidade.

Segundo as investigações, o último ponto que o carro do casal foi visto foi a 500 m de uma casa de swing.

Depoimento dado à polícia em setembro, e revelado pelo jornal, diz que o pastor e a deputada já tinham sido vistos em uma casa de swing na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, onde ocorria troca de casais.

A testemunha relatou que soube do caso após levar a supervisora a um culto no Ministério Flordelis, em 2007, e a amiga ficou surpresa ao reconhecer o casal. De acordo com ela, a pastora usava um número de identificação no lugar do nome.

Ainda segundo frequentadora, Flordelis tinha um quarto exclusivo no local e que a filha dela Simone e o marido, que era diácono na época, também frequentavam a casa. Flordelis e o pastor estiveram um fim de semana anterior ao culto, no local, de acordo com o relato.

A amiga chegou a confrontar Anderson e Simone sobre a história. Anderson negou que estivesse na Barra da Tijuca na data. Já Simone confirmou que estiveram no bairro e também a roupa que Flordelis usava na ocasião.

De acordo com publicação do portal Uol, a deputada negou frequentar casas de swing.

Suspeito de participar de tentativa de latrocínio em Goiás, é preso em Capinópolis

Motorista fica ferido em acidente com carreta na BR-365, em Uberlândia