Saiba mais sobre o Pix, novo sistema de pagamentos brasileiro

O Pix não é um aplicativo específico, mas sim um serviço financeiro de pagamento. A chave Pix deverá ser cadastrada na instituição que o usuário tem conta corrente, poupança ou carteira digital

Tela do sistema do Banco Central exibe logo do Pix | Foto: Tudo Em Dia
Tela do sistema do Banco Central exibe logo do Pix | Foto: Tudo Em Dia

A nova modalidade de pagamento criada pelo Banco Central promete facilitar a vida dos brasileiros. O Pix, sistema de pagamento, funcionará 24h por dia, inclusive nos dias de feriado. O cadastro para utilizar o novo sistema teve início na última segunda-feira (05.out.2020), no entanto, o Pix entrará em atividade no dia 16 de novembro — um dia após o primeiro turno das eleições.

O Pix não é um aplicativo específico, mas sim um serviço financeiro que será disponibilizado pelas instituições financeiras e de pagamentos em seus canais.

Para utilizar o Pix, o usuário precisará cadastrar a chave — uma espécie de identificador ou apelido. A chave poderá ser um CPF, CNPJ, E-MAIL ou uma sequencia alfanumérica.

Quando o usuário precisar receber de alguém, basta informar a chave de identificação. Não será necessário informar a conta bancária, agência etc. Para efetuar um pagamento, a facilidade é a mesma, basta solicitar chave do vendedor ou QR Code.

TED / DOC vs PIX

Além do custo elevado para transação, as transferências de TED ou DOC exigem que o pagador conheça e digite dados completos do recebedor – como banco, número da agência, número da conta, o tipo de conta e seu CPF ou CNPJ. Já o Pix, o usuário poderá transferir os recursos tanto pela simples leitura do QR Code do recebedor ou pela informação de qualquer uma das chaves Pix dadas por ele.

Custos do novo sistema

Para utilizar o Pix, pessoas físicas e microempreendedores individuais não pagarão nada, no entanto, há exceções.

Segundo a autoridade monetária, existem duas exceções para que a pessoa física ou o MEI sejam tarifados. A primeira é quando o cidadão receber recursos via Pix para pagamento de venda de produto ou serviço prestado. A segunda é caso ele use os canais presenciais ou de telefonia para realizar uma transação quando os meios eletrônicos estiverem disponíveis.

Já no caso de pessoas jurídicas, as instituições financeiras e de pagamento que ofertarem o novo sistema poderão cobrar tarifas tanto do cliente pagador quanto do recebedor. Também poderão ser cobradas tarifas pela prestação de serviços agregados à transação de pagamentos.

Pode-se pagar tudo?

A princípio, sim. Qualquer transação de pagamento pode ser efetuada via Pix, independentemente de sua natureza ou valor.

E você, pretende utilizar o novo sistema? Deixe sua opinião nos comentários.

Romeu Zema cancela agenda após contato pessoa infectada pela Covid-19

Fórum Odovilho Alves Garcia | Foto: Paulo Braga/Tudo Em Dia

Cartório Eleitoral de Capinópolis divulga nomes de colaboradores que atuarão nas eleições 2020