Vivo é condenada a pagar R$ 45,7 milhões por doar ingressos a agentes públicos na copa de 2014

De acordo com a empresa de telecomunicações, que opera sob a marca Vivo, a distribuição dos ingressos ocorreu no contexto de ações de marketing e promoção institucional. Mas a ação foi considerada pela CGU como incompatível com os termos da Lei nº 12.846/2013, chamada Lei Anticorrupção.

A ação da CGU foi instaurada após a repercussão do acordo de US$ 4 milhões firmado pela Telefônica com autoridades americanas, em função do pagamento de hospedagens e à distribuição de ingressos a representantes do governo em cargos estratégicos para os negócios da empresa, lembra o Valor Online.

Presidente da Câmara de Ituiutaba nega envolvimento em homicídio

Mesários que serão substituídos em Capinópolis, Canápolis e Centralina