Prevista para antes da Copa de 2014, parte da Via 710, em BH, será liberada

Digiqole Ad

Com aproximadamente cinco quilômetros de extensão, a Via 710, que foi pensada para ligar as regiões Leste e Nordeste de Belo Horizonte, iria ficar totalmente pronta antes da Copa do Mundo de 2014. No entanto, após mais de sete anos de obras, ela nunca foi 100% concluída. Neste sábado (8), parte dela será liberada.

Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), o trecho disponível à população será o que dá os acessos para os bairros São Paulo e Palmares, e também para ambos os sentidos da avenida Cristiano Machado.

“A cada nova etapa de liberação no trânsito da Via 710, placas e pinturas de solo são implantadas para orientar e garantir a segurança de motoristas e pedestres na região. A via que está parcialmente liberada desde Fevereiro/2020, está sinalizada com travessias semaforizadas e equipamentos de controle de velocidade, com regulamentação de 60km/h. Em Junho/2020, foi liberado  o viaduto sobre a Via 710 que liga os bairros União e Fernão Dias”, informou a PBH.

Atente-se

Acesso ao bairro São Paulo: Os veículos vindos da Via 710 (sentido avenida José Cândido da Silveira / avenida Cristiano Machado) vão manter-se à direita, próximo à estação de metrô Minas Shopping, acessar a avenida Cachoeirinha e a rua Angaturama. 

Acesso ao bairro Palmares e à avenida Cristiano Machado (sentido bairro / Centro): Próximo à estação de metrô Minas Shopping foi criado um novo acesso ao viaduto Carlos Drummond de Andrade, seguindo até o bairro Palmares e também para a avenida Cristiano Machado. 

Acesso à avenida Cristiano Machado (sentido Centro / bairro): Os veículos deixam de usar a Rua Queluzita e passam a usar um novo acesso mais ágil e seguro, próximo à Estação do Metrô Minas Shopping.

Custo e previsão

A Via 710 vai do cruzamento das avenidas Cristiano Machado e Bernardo Monteiro, no bairro São Paulo, até a avenida dos Andradas, nas proximidades do Esplanada. Boa parte desse trajeto é paralelo à linha do metrô.

Conforme a PBH, o valor do empreendimento é de R$ 120 milhões, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (Pac). Já o Executivo municipal investe R$ 160 milhões em desapropriações. Ao todo, valor é de R$ 280 milhões, cerca de R$ 110 milhões a mais que a estimativa inicial.

“A previsão de término de todos os trabalhos é para o final do ano, a depender do andamento das desapropriações judicializadas”, disse a PBH, por meio Superintendência da Capital (Sudecap) e da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans).

Veja também:

Apoio:

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis

Leia também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Bloqueador de Publicidade

Detectamos um bloqueador de publicidade no seu navegador. Por gentileza, apoie o jornalismo independente brasileiro

Refresh

error: A cópia do conteúdo do Tudo Em Dia é proibida