A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) anunciou nesta segunda-feira (10) que irá avançar à Etapa 1 do plano de retorno às atividades presenciais na próxima segunda (17). No entanto, os espaços físicos só podem ter ocupação de até 20% e o que pode ser feito remotamente, deve continuar assim.

A notícia foi dada após a publicação de uma carta divulgada pela reitora Sandra Regina Goulart Almeida e pelo vice-reitor Alessandro Fernandes Moreira. Segundo eles, a queda dos números relativos à pandemia é um fator determinante para esse progresso.

“Embora seja cedo para nos sentirmos aliviados, maio iniciou-se com queda no número de casos confirmados e óbitos no país, o que configura um pequeno alento e nos possibilita reavaliar quais são as balizas para o retorno de atividades presenciais de forma lenta, gradual e segura, com base em evidências científicas e novas recomendações sobre o tema”, afirmam.

Leia mais: UFMG tem ano letivo de 2021 definido, e férias ficam para setembro

CCAA Capinópolis

No dia 12 de março deste ano, a universidade havia decidido voltar à Etapa 0 por causa da piora nos indicadores, tanto em Belo Horizonte, quanto em Montes Claros, no Norte de Minas, onde há um campus. “Desde então, a Universidade vem fazendo um minucioso monitoramento do cenário epidemiológico de Belo Horizonte e Montes Claros e, em razão desse trabalho, decidiu, em duas ocasiões – 26 de março e 26 de abril –, manter-se na etapa zero. Avaliamos que a decisão, apesar de muito difícil, foi acertada e demos nossa contribuição para a melhoria das condições de gestão da pandemia em Minas Gerais”, explicam.

Ainda de acordo com os gestores, a UFMG continuará monitorando a situação sanitária para tomar novas decisões. A prioridade sempre será a vida das pessoas. “Reforçamos a importância da adoção das únicas medidas eficazes de contenção da pandemia até que a imunização alcance um contingente satisfatório da população: uso de máscaras em todos os ambientes, higiene frequente das mãos e a contraindicação absoluta de qualquer forma de aglomeração. Os serviços MonitoraUFMG e Telecovid-19 permanecem em atividade”, escrevem.

Plano de retomada

Anunciado em setembro de 2020, o plano prevê quatro etapas (0 a 3) de evolução do retorno presencial das atividades não adaptáveis. Cada uma é definida pelo número máximo de pessoas (servidores, estudantes e trabalhadores terceirizados) que circulam simultaneamente, representando um teto de ocupação para cada setor ou espaço físico. 

Na Etapa 0 – estágio que vigora até o próximo domingo (16) – as atividades presenciais ficam suspensas, e apenas as essenciais e de manutenção são mantidas. Na Etapa 1, o teto de ocupação é 20%, e o critério de porcentagem das equipes deverá ser combinado ao da viabilidade de distanciamento social.

Na Etapa 2, o limite deverá subir para 40%. De acordo com a UFMG, para isso, será necessário que a cidade esteja em alerta verde há pelo menos dois meses e que não tenha ocorrido surto da doença no educandário. Na Etapa 3 todas as atividades podem voltar ao seu funcionamento normalmente, mas isso está acondicionado ao controle da doeça ou ampla vacinação da população.

Veja AQUI Plano para o retorno presencial de atividades não adaptáveis ao modo remoto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui