Faxineira é sequestrada, estuprada, ferida e mantida refém por 14h na Pampulha

A mulher seguia para fazer uma faxina no bairro, quando foi abordada pelo suspeito que a levou para um terreno baldio e cometeu o crime
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Uma faxineira de 50 anos viveu momentos de extremo terror ao ser sequestrada e ficar por catorze horas nas mãos de um homem que a estuprou, a feriu com golpes de facão e ameaçou cortar partes do seu corpo no bairro Santa Terezinha, na região da Pampulha, em Belo  Horizonte, entre esta segunda-feia (10) e esta terça-feira (11). 

De acordo com o boletim de ocorrência, a mulher contou que seguia pela avenida Heráclito Mourão para fazer uma faxina no bairro Santa Terezinha quando foi abordada por um homem negro, calçando um tênis azul, calça jeans amarrada com um fio elétrico, uma camisa cinza ou bege e cabelo preto com corte baixo. 

O suspeito a obrigou a ir para um terreno baldio, onde havia um imóvel em construção. No local ela foi mantida em cárcere privado e por diversas vezes estuprada pelo suspeito. Durante a violência sexual, o homem fez ameaças de cortar partes do corpo dela caso ela gritasse ou tentasse fugir. 

Já na noite da segunda-feira, a mulher conseguiu se afastar um pouco do suspeito e tentou fugir, mas o homem a alcançou e deu golpes com um facão nela. A vítima saiu correndo pedindo por socorro e foi amparada por moradores do bairro por volta de 0h30 desta terça-feira. 

A Polícia Militar foi acionada e encontrou a vítima com cortes nos braços, nos pés e na mama. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) socorreu a vítima para o Hospital Odilon Behrens onde ela ficou internada, sem risco de morrer. 

De acordo com o tenente Marco Túlio, do 34º Batalhão da Polícia Militar, a mulher recebeu facadas em várias partes do corpo. “A vítima relatou que quando ela estava transitando pela avenida Heráclito Mourão de Miranda, ela foi  abordada por um autor, de estatura média, que mostrou pra ela uma faca e a obrigou a entrar no terreno baldio. Lá ela permaneceu por cerca de 14 horas. Por volta da meia noite de hoje, quando ela tentou fugir, o autor desferiu facadas contra ela. Essas facadas atingiram o braço direito, o braço esquedo, um dos pés e próximo da região dos seios”, explicou o tenente. 

Uma bolsa da vítima foi entregue para a irmã dela e a ocorrência encaminhada para a Delegacia de Plantão da Polícia Civil 4. O suspeito do crime não foi encontrado. A reportagem de O TEMPO esteve na casa da vítima, mas ninguém foi encontrado no local. Uma vizinha confirmou que ela morava lá com um compnaheiro, mas afirmou que ele havia saído de casa bem cedo e não havia retornado.

Funcionário do Hospital Odilon Behrens confirmaram na tarde desta terça-feira (11) que a mulher permanecia internada na unidade médica, mas o estado de saúde dela não foi revelado.

A Polícia Civil de Minas Gerais informou que policias da Delegacia Especializada de Investigação à Violência Sexual realizam diligências na manhã desta terça para apuração dos fatos e devida identificação do suspeito.

Ocorrência chama a atenção

De acordo com o tenente Marco Túlio da Polícia Militar, esse tipo de ocorrência é incomum na região e chama a atenção da polícia principalmente o tempo que o homem manteve a vítima no terreno baldio.

“Não é uma ocorrência comum na região. É um fato que chama a atenção pelo tempo que ele ficou ali causando a agressão sexual contra a vítima, pelo relato dela. Mas assim que acionada, a Polícia Militar esteve no local e prestou socorro à vítima”, disse. 

Matéria atualizada às 16h52

Veja também:

Apoio:

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis

1
2
3
4
5
1
2
3
4
5
1
2
3
4
5

Bloqueador de Publicidade

Detectamos um bloqueador de publicidade no seu navegador. Por gentileza, apoie o jornalismo independente brasileiro

Refresh

error: A cópia do conteúdo do Tudo Em Dia é proibida