Dia do Gari: já parou para refletir no trabalho deles?

Digiqole Ad

“Ficava intrigado com a felicidade e o alto-astral dos garis que passavam na minha rua”. Foi essa curiosidade que levou o morador do bairro Bandeirinhas, Marcos Barbosa da Silva, 50, a se tornar profissional da limpeza urbana da cidade. “Eu via o pessoal recolhendo o lixo na maior alegria e decidi que queria viver aquilo. Graças a Deus, me adaptei e, definitivamente, me encontrei nessa profissão”, contou.

Para ressaltar a relevância dos serviços prestados pela categoria, na próxima segunda-feira (16) é celebrado o Dia do Gari. Apesar de serem invisíveis aos olhos de muitas pessoas, Silva diz que se sente realizado. “O trabalho que a gente faz é essencial para o meio ambiente e é uma forma de garantir um futuro melhor para meus filhos e meus netos”, ressaltou. 

De fato, o raciocínio dele faz todo o sentindo. Só em 2020, 86.107 toneladas de lixo foram recolhidas nas ruas de Betim. Esse dado reflete diretamente o trabalho essencial dos mais de 400 agentes operacionais que atuam na limpeza da cidade. E, diante da pandemia da Covid-19, o serviço desempenhado por esses profissionais tem sido ainda mais essencial, uma vez que, embora seja papel de todos manter a cidade limpa, a responsabilidade diária ainda é da categoria.

No entanto, o trabalho não se limita apenas à coleta de lixo doméstico, mas também à limpeza geral da cidade, com a capina, a varredura das ruas e avenidas, além da manutenção dos espaços públicos em geral.

Para o coordenador de unidade da Via Solo em Betim, Mário Vasconcelos, o trabalho dos profissionais da limpeza urbana deve ser reconhecido todos os dias, mas ter uma data específica para celebrar é importante para a valorização desses profissionais. “Nossos colaboradores não param nenhum dia. Faça chuva, faça sol, estamos sempre nas ruas fazendo sua parte e contribuindo diretamente para a saúde pública e melhor qualidade de vida da população. Nossa missão é garantir mais harmonia entre a cidade a população. É muito importante reconhecer o trabalho desses profissionais”, afirmou.

Ações

Blitz educativas com cartilhas são elaboradas pela prefeitura anualmente para conscientizar a população quanto à importância de fazer sua parte para manter a cidade limpa. O município também disponibiliza caçambas em pontos específicos e 11 Unidades de Recebimento de Pequenos Volumes (URPVs), em diversas regionais.

Atitudes simples também podem fazer toda a diferença no dia a dia desses profissionais e da cidade. Dentre elas estão: não jogar o lixo no chão, nem pela janela de carros e ônibus, além da separação correta do lixo em sacos plásticos e colocá-los somente no dia em que o caminhão passa para evitar que seja rasgado.

Também é importante a participação dos comerciantes e da comunidade, instalando lixeiras seja no comércio ou nas próprias residências. 
 

Reforço na coleta seletiva 

Em 2020, diante da pandemia da Covid-19, a coleta seletiva de Betim recolheu 34.127 toneladas de resíduos. Em 2019, o número ficou em 24.135 toneladas, o que representa um aumento de 41,4%. Até abril deste ano, 13.963 toneladas de resíduos já foram coletados. 

Atualmente, o projeto Coleta do Bem, da Prefeitura de Betim, está sendo reformulado para que possa atender mais regiões da cidade. Atuando no município há mais de 20 anos, a Associação de Catadores de Papel, Papelão de Materiais Reaproveitáveis de Betim (Ascapel) é a responsável pela triagem e reciclagem do material proveniente da coleta seletiva.

O trabalho é realizado por cerca de 20 associados que realizam o trabalho coletivo de armazenamento, triagem, prensagem e expedição dos materiais doados por empresas, que serão destinados à Associação. Quem tiver dúvidas pode entrar em contato com a associação pelo número: (31) 98826-9641.
 

Mais de 60 mil mudas foram produzidas

Criado há 22 anos com o objetivo de produzir mudas arbóreas e ornamentais para serem plantadas na cidade, o Viveiro Municipal de Mudas de Betim já produziu, só neste ano, 60.850 mudas. Em 2020 esse número chegou a 200 mil. Dentre as plantas ornamentais e arbóreas cultivadas no espaço estão Mini Espada-de-São-Jorge, Onze-horas, Vedélia, ipês, baobá brasileiro e palmeira-licuri.

Para a presidente da Empresa de Construções, Obras, Serviços, Projetos, Transporte e Trânsito de Betim (Ecos), autarquia que administra o viveiro, esse serviço é de suma importância para a cidade. “Ter mais árvores e plantas em nossa cidade significa investir no cuidado com o bem mais precioso que temos: a vida. Além disso, as pessoas merecem viver numa cidade bonita e arborizada”, afirmou.

Além de serem usadas nas praças, parques e canteiros do município, as plantas arbóreas podem ser doadas à população. Quem tiver interesse pode saber mais sobre o serviço pelo telefone: (31) 3512-3160.

Faça sua parte

Um dos maiores desafios enfrentados pela categoria está relacionado ao descarte incorreto de materiais cortantes, como vidros e espetos, por exemplo, que podem acabar perfurando os trabalhadores. Para evitar essa situação, embrulhe o lixo em um jornal e coloque em uma sacola separada dos demais. 

Veja também:

Apoio:

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis

Leia também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Bloqueador de Publicidade

Detectamos um bloqueador de publicidade no seu navegador. Por gentileza, apoie o jornalismo independente brasileiro

Refresh

error: A cópia do conteúdo do Tudo Em Dia é proibida