Homem suspeito de assassinatos em série de moradores de rua é preso em BH

Digiqole Ad

Um homem de 54 anos foi preso pela Polícia Militar após tentar matar um morador de rua, de 34, na rua dos Tupis, no centro de Belo Horizonte, na madrugada desta terça-feira (18). Segundo a corporação, ele é suspeito de uma série de crimes contra moradores de rua e era procurado desde 2019. 

O suspeito usou uma panela de pressão para agredir a vítima nesta madrugada. Após bater no homem, ele foi embora. O porteiro de um prédio vizinho ouviu o barulho das agressões e os gemidos da vítima e acionou os militares. O morador de rua foi socorrido em estado grave para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII.

“A guarnição Tático Móvel estava patrulhando e, ao passar pela rua dos Tupis, deparou com um indivíduo caído no passeio com ferimentos graves na cabeça. Foi acionado o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), constatada perda de massa encefálica e a vítima foi encaminhada ao Hospital de Pronto Socorro João XXIII. Conseguimos contato com síndicos e porteiros de alguns prédios e foi nos fornecidas as imagens do crime acontecendo. De posse das características do autor, iniciamos um rastreamento com o apoio do Olho Vivo do batalhão”, explicou o tenente Bruno Costa, do 1 Batalhão de Polícia Militar. 

Veja o vídeo do momento da agressão:

 

 

Buscas e prisão

Segundo o militar, o rastreamento durou cerca de duas horas, até a localização do homem no bairro Funcionarios, na região Centro-Sul de Belo Horizonte. Ao avistar a viatura, ele tentou fugir. 

Com o homem, que também vive em situação de rua, foram apreendidos a panela de pressão usada na agressão desta terça, um pedaço de ferro, duas facas e uma bolsa. 

Modo de agir

De acordo com o tenente, o homem é suspeito de cometer ao menos cinco homicídios contra moradores de rua no centro da capital e bairros próximos, como o Floresta e Colégio Batista na região Leste. Ele também pode ter envolvimento em outras seis tentativas de homicídio.

Todas as vítimas eram homens. O policial informou que alguns indícios levam a indicar que o homem seja o autor dos crimes. “Ele agia da mesma forma: matando outra pessoa em situação de rua, que estava dormindo e com golpes na cabeça, golpes contundentes. A mesma forma de carregar o objeto, de segurar a bolsa”, detalhou. 

Suspeito estava eufórico ao ser preso

De acordo com o policial, não é possível dizer se o agressor sofre de algum transtorno mental. Ao ser preso, ele estava com um comportamento eufórico.

“Primeiro, ele disse que agia em legítima defesa e que estava fazendo justiça. Mas as vítimas sempre estavam dormindo. Depois, negou os crimes. Ele não disse há quanto tempo está em situação de rua e em que ponto costuma dormir. O caso seguiu para a Polícia Civil, que vai investigar os casos. É correto afirmar que ele suspeito de ser um assassino em série. Suspeito de ser um serial killer”, finalizou o policial. 

O homem foi encaminhado à Delegacia de Plantão 2 (Deplan). De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, ele foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio qualificado por meio cruel e sem chance de defesa da vítima. A Polícia também informou que os casos de homicídios são investigados, mas ainda não é possível informar ser o mesmo autor.

Veja a nota na íntegra:

“A Polícia Civil de Minas Gerais informa que a perícia técnica compareceu ao local do crime e fez os primeiros levantamentos. A ocorrência foi recebida na Delegacia de Plantão II nesta terça-feira (18/5). O suspeito foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio qualificado por meio cruel e sem chance de defesa da vítima. Durante o depoimento, ele permaneceu em silêncio.

Em relação ao fato de o suspeito ser investigado por homicídios cometidos em série, não há um procedimento específico sobre o fato. A Polícia Civil investiga homicídios de moradores de rua mortos de forma similar, mas ainda não é possível afirmar ser o mesmo autor. As investigações sobre esses homicídios estão em andamento e, tão logo as apurações avancem, a imprensa será comunicada”.

Cobertores de vítima ficaram na rua

Os cobertores usados pelo morador de rua ficaram próximo ao local do crime, na rua dos Tupis. O homem, que não teve o nome divulgado, segue internado. O estado de saúde dele não foi divulgado. 

Medo faz lei do silêncio imperar nas ruas

Para quem vive nas ruas, exposto a todos os riscos, o medo impera na hora de falar das situações presenciadas. A reportagem de O TEMPO esteve na rua dos Tupis, onde a tentativa de homicídio aconteceu e ninguém quis comentar os fatos.

Já na praça da Estação, local que concentra um número alto da população de rua ao redor, os moradores não falar de nenhum crime.

“Peixe morre pela boca. Eu que fico na rua não vou falar nada para lá na frente morrer. Se alguém foi preso por matar moradores de rua, que pague pelo que fez”, se limitou a dizer um deles, sem se identificar.

Casos de homicídios de pessoas em situação de rua em BH neste ano 

28 de janeiro – Homem  foi encontrado morto com sinais de violência próximo ao coreto da praça da Liberdade, região Centro-Sul.

29 de janeiro – Corpo do sexo masculino foi encontrado dentro de um carrinho de supermercado na avenida Afonso Pena, no centro. 

21 de abril – Vítima foi agredida até a morte no bairro Floresta, região Leste. Câmeras de segurança de imóveis próximos flagraram a ação criminosa 

 

Matéria atualizada às 15h45
 

Veja também:

Apoio:

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis

Leia também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Bloqueador de Publicidade

Detectamos um bloqueador de publicidade no seu navegador. Por gentileza, apoie o jornalismo independente brasileiro

Refresh

error: A cópia do conteúdo do Tudo Em Dia é proibida