PBH quer volta presencial para alunos de até 8 anos, e aguarda aval de comitê

Digiqole Ad

A Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte aguarda o aval do Comitê de Enfrentamento da Covid-19 para avançar no retorno das aulas presenciais para os alunos de 6 a 8 anos, do ensino fundamental, que estão em fase de alfabetização. De acordo com a secretária municipal de Educação, Ângela Dalbem – que participou de uma reunião virtual da Comissão de Educação na Câmara Municipal, nessa quinta-feira – as escolas da capital mineira estão preparadas para esse retorno.

“Estamos prontos para voltar. A faixa etária de 6, 7 e 8 anos é preciosa para nós, são as crianças em fase de alfabetização. Vamos manter a escola presencial e a remota. O modelinho que a gente seguiu para a educação infantil deve ser o mesmo que vamos seguir na faixa de 6 a 8 anos. Essas escolas estão organizadas, aguardando, mas depende do comitê da saúde. Na hora que derem o start, nós começamos, com certeza. Estamos ansiosos por isso. É tudo que a gente deseja”, disse Ângela durante o encontro com os vereadores.

No protocolo da PBH para as aulas presenciais da educação infantil, as escolas devem seguir regras como a permanência máxima dos alunos na instituição por quatro horas, o uso de máscara e sala de aula com até 12 alunos. As turmas de estudantes são divididas em “bolhas”, e eles só podem manter contato entre si. 

A secretária apresentou detalhes do plano de retorno das aulas presenciais e, caso a segunda fase de retomada seja autorizada pelo comitê de saúde da PBH, ao todo 101.253 estudantes, de 6 a 8 anos, voltariam às atividades presenciais, sendo 40.492 nas escolas municipais, 28.294 na rede estadual e 32.467 na rede privada.

Em nota, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) informou que o Comitê de Enfrentamento à Covid “está em fase final de elaboração de um plano com critérios objetivos e técnicos para a reabertura das atividades escolares em todos os níveis, assim como a eventual suspensão, de acordo com os critérios e indicadores epidemiológicos”.

Discussão

A presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep-MG), Zuleica Reis, disse que o retorno presencial da educação infantil, nas quatro primeiras semanas de aula, foi muito positivo e que as escolas estão preparadas para continuar avançando na retomada da aulas presenciais para o ensino fundamental.

“Na semana que vem, o Kalil deve fazer pronunciamento com relação à fala da secretária (Ângela Dalbem), que trouxe uma informação muito positiva. As escolas já estão preparadas. Estamos ansiosos para ouvir o pronunciamento do prefeito dizendo que a gente pode retomar as aulas do ensino fundamental”, disse.

Já a diretora do Sindicato dos Trabalhadores da Educação da Rede Pública Municipal de Belo Horizonte (Sind-Rede BH), Vanessa Portugal, afirma que as escolas não estão preparadas de que a categoria vai manter a greve sanitária. 

“Já está votado, em assembleia, que os trabalhadores não vão acatar o chamado para o retorno presencial do ensino fundamental. Até ontem (quinta-feira) tínhamos 40 casos confirmados de trabalhadores com Covid em 28 unidades de educação infantil. A secretária de educação disse que grau de contaminação estaria em 8,3% entre os trabalhadores da educação, o que faria esse número que tenho saltar de 40 para 400. Honestamente, não entendo como escolas podem estar seguras para uma nova reabertura”, afirma.

 

Veja também:

Apoio:

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis

Leia também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Bloqueador de Publicidade

Detectamos um bloqueador de publicidade no seu navegador. Por gentileza, apoie o jornalismo independente brasileiro

Refresh

error: A cópia do conteúdo do Tudo Em Dia é proibida