Minas Gerais. Um ex-militar de 50 anos, excluído da corporação, precisou ser contido após ter um surto, nessa quinta-feira (3), e tentar ressuscitar o irmão que havia morrido 48 horas antes em Governador Valadares, na região do Rio Doce. A policiais, ele afirmava que estava dentro de casa na companhia de Alá (referindo-se ao Deus muçulmano).

“Um cidadão faleceu dentro da casa, e o irmão dele, ex-militar excluído da PM, estava na residência, teve um surto psicótico e achou que poderia ressuscitá-lo. O 190 (telefone da polícia) foi acionado e nós deslocamentos para o local”, explicou o tenente-coronel Luiz Allan Carvalhaes, comandante da 5ª Companhia.

Magazine Brasil Líbano Dia dos Pais

Na chegada, militares encontraram o ex-PM trancado dentro de um quarto, e o corpo do irmão estava em um outro cômodo. Os policiais foram informados que o ex-agente estava armado com facas, arma e bananas de dinamite sendo necessário acionar uma equipe do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) de Belo Horizonte.

“Quando o pessoal do Bope chegou para fazer a retirada dele resguardando a integridade física e a vida dele, ele saiu e nós colocamos a algema. Levamos ele para ser medicado pelo Samu e levado ao médico. Na casa moram a mãe, a companheira dele e morava também esse irmão que faleceu. No momento que chegamos só os dois estavam dentro da casa”, detalhou o militar.

CCAA Capinópolis

Ainda conforme o policial, a corporação foi acionada pelos vizinhos, uma vez que a família esperava que ele melhorasse do surto.  As causas da morte do homem, que tinha 57 anos, não foram esclarecidas.

Ex-militar diz ser “médium

Ainda conforme o tenente-coronel, durante o tempo que o corpo ficou na casa, o ex-PM chegou a passar óleo no irmão para que ele ressuscitasse. 

“As mãos dele saíram amarelas, ele fala que é médium e chegou a colocar fogo no quarto em que vivia. Ele não falava nada com nada. Ao ser retirado da residência, ele não reagiu, ele nos conhece, já trabalhou com a gente. Disse que éramos amigos”, afirmou o tenente-coronel.

Conforme o registro policial, familiares do ex-militar contaram à polícia que “ele foi diagnosticado com esquizofrenia com foco em espiritualismo e, há cerca de um mês, mudou o seu comportamento dizendo conversar, ora com Deus, ora com Lúcifer acreditando ser um semideus”.

Durante 48 horas, ele realizou rezas para o irmão e, ao perceber que não conseguiuria ressucitá-lo, se trancou no quarto afirmadando que iria se matar. Dentro do cômodo foram apreendidos um revólver calibre 38 municiado e dois punhais.

Homicídio 

Ainda segundo a polícia, o homem perdeu a graduação de 3º sargento da Polícia Militar em virtude de condenação por homicídio. Ele cumpria prisão domiciliar monitorado por tornozeleira eletrônica. 

Questionada se será apurado o motivo do corpo ter ficado tanto tempo dentro da casa mesmo com outros familiares no local, a Polícia Militar informou que “as investigações prosseguem e nada será descartado”.

Com informações do jornal O Tempo

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis
Ouça o podcast do Tudo Em Dia: