O vôlei com conhecimento e independência jornalística

A temporada chegou ao fim para a seleção brasileira.

Magazine Brasil Líbano Dia dos Pais

Em compensação, o ‘ano’ está apenas começando para os clubes.

As finais dos estaduais são os aperitivos. Na verdade, Minas e São Paulo. O resto não existe.

CCAA Capinópolis

O retorno de José Roberto Guimarães ao time de Barueri, sempre prazeroso de ver jogar, foi o suficiente para que a jovem equipe enfrentasse Bauru de igual para igual.

Uma partida bem diferente da fase de classificação.

O trabalho dele é elogiável.

O técnico faz o que na verdade a CBV deveria ter feito. Mas se depender da CBV, é melhor José Roberto Guimarães esperar sentado.

E tudo que ele não pode hoje é perder tempo, ainda mais levando-se em conta os resultados catastróficos das seleções de base.

Futuro.

Karina já é realidade.

Lorena caminha a passos largos.

É impensável qualquer lista em 2022 sem o nome das duas.

Lorena pede passagem.

Bauru tinha Adeníza e Mara. 

Passado.

Barueri tem ainda Diana.

Mas o momento é de Lorena.

Presente.

22 anos, 1,90m, boa leitura, corajosa e muita personalidade.

Quando se fala e exige renovação, é inimaginável ver Lorena, por exemplo, fora da VNL do ano que vem.

Por sinal, a competição deveria ser usada para dar experiência e bagagem para essas meninas.

José Roberto Guimarães não tem saída.

Aliás, o vôlei brasileiro não tem para onde fugir.

 

 

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis
Ouça o podcast do Tudo Em Dia:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui