Os mineiros já estão de malas prontas para feriadão de 12 de outubro. Impulsionados pelo recuo dos índices da pandemia e o avanço na vacinação no Estado, a estimativa do governo de Minas é que a ocupação nas cidades turísticas chegue a 90% a 100% no feriado de Nossa Senhora Aparecida em Minas Gerais. Após meses de dificuldades e baixa procura, hotéis e pousadas comemoram a volta dos hóspedes e resultados semelhantes – e, em alguns casos, até melhores – aos de antes da pandemia.

De acordo com a Superintendente de Marketing Turístico da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, Fernanda Fonseca, os destinos mais cobiçados têm sido dentro do próprio Estado. Os destaques vão para as cidades com cachoeiras e outras riquezas naturais como o Circuito das Águas, no Sul de Minas, e as cidades históricas. “Normalmente, a nossa média mensal de ocupação tem ficado em 60%, o que já é muito bom, temos tido um crescimento mensal de 10% no turismo do Estado. Estamos chegando a um patamar pré-pandemia”, avalia Fernanda.

Magazine Brasil Líbano Dia dos Pais

Em Santana do Riacho, na Serra do Cipó, a expectativa é que mais de 12 mil turistas passem pelas cachoeiras da região nos quatro dias de feriado prolongado. Segundo o Secretário Municipal de Turismo e Meio Ambiente, Rafael Marques, a projeção é que R$ 2,5 milhões sejam injetados na economia da cidade nos próximos dias. “Os nossos atrativos turísticos já têm ficado com ocupação máxima nos últimos feriados. As pessoas têm focado em destinos com mais natureza e com áreas abertas, sem precisar encarar longas distâncias e um avião”, pontuou.

Com todas as regiões do Estado na Onda Verde do Programa Minas Consciente, todas as pousadas em Minas já podem operar com capacidade máxima. Na pousada Fazenda Monjolos, na Serra do Cipó, as reservas para o feriado da próxima semana se esgotaram há quase um mês. Com diárias a partir de R$ 520, segundo a proprietária, Raquel Machado, a agenda até o fim do ano já está praticamente esgotada. “Em maio, que foi um mês que teve aparentemente baixa procura, a demanda foi muito maior do que os meses antes da pandemia. A tendência é que com o calor a procura seja ainda maior e a nossa expectativa é que seja assim mesmo, ainda estamos nos recuperando dos longos períodos que ficamos fechados”, destaca a empresária.

CCAA Capinópolis

Com previsão de ocupação acima de 90%, em Tiradentes, na região Central do Estado, a estimativa, segundo a prefeitura, é que somente com hospedagem a cidade arrecade, em torno, de R$ 400 mil durante o feriado. “Eu digo que em termos de procura estamos melhor até do que antes da pandemia. Eu já não tenho vaga para o ano novo. Assim como hotéis, é preciso agendar os restaurantes com antecedência, porque senão não vai encontrar disponibilidade na hora. As pessoas têm viajado mais e aproveitado mais os fins de semana para viagens”, avalia a sócia do Rancho da Serra, Daniela Matos.

Segundo o Secretário de Turismo de Tiradentes, Cristian Silveira, as reservas na cidade têm sido feitas com, no mínimo, 30 dias de antecedência. Com a flexibilização dos protocolos, a procura aumentou até por casamentos – já não há mais vagas nas igrejas até 2023. “Com o avanço da vacinação, os turistas têm sentido mais segurança. Antes, por conta das incertezas da pandemia, o tempo médio antes da reserva era de oito dias, agora esse período aumentou muito. Nos fins de semana a cidade tem ficado muito cheia, mas a nossa expectativa é que no primeiro trimestre de 2022, a situação finalmente chegue aos patamares anteriores. Apesar dessa retomada, a nossa arrecadação encurtou 15% no último ano por conta de muitas lojas que fecharam”, destaca Silveira.

Recomeço
Depois de sete meses fechados só neste ano por conta das restrições da pandemia, o Hotel Glória Resort & Convention, em Caxambu, no Sul de Minas, já têm 90% dos quartos reservados para o feriado de Nossa Senhora Aparecida. “Ficamos muito tempo fechados, reabrimos só em setembro, porque o custo de se manter um hotel é muito alto. Mas já estamos sentindo uma retomada dos turistas, no último feriado, o da Independência, tivemos lotação recorde”, conta o gerente Alexandre Moura, que já adianta que por conta da alta demanda na próxima semana, o grupo precisará contratar camareira, garçom e recepcionistas freelancers. Como parte da programação para o Dia das Crianças, o hotel irá receber, durante o feriado, a 3ª Copa de Tênis, promovido pela Confederação Mineira de Tênis. 

No Sesc Ouro Preto, a aposta em garantir pacotes especiais para cada data também tem surtido efeito. Para o feriado de 12 de outubro, não há mais vagas. Os pacotes para o público geral saíram, em média, por R$ 1.800, para quatro dias de hospedagem 

Segundo o gerente, Patric Cardoso de Sá, a expectativa é que a ocupação na rede fique em 100% em todos os próximos feriados até o fim do ano. “Temos buscado oferecer promoções, como incluir crianças até cinco anos nos pacotes, oferecer atividades de recreação. O turismo tem se recuperado, mas o que diferencia são os serviços agregados”, avalia. 

Aeroporto
Movimentação. Entre os dias 8 e 13 de outubro, a expectativa é que 110 mil passageiros passem pelo Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins. As companhias aéreas planejam para o período 64 voos extras, com destinos a Porto Seguro (BA), Maceió (AL), Cabo Frio (RJ), Ilhéus (BA), Barreiras (BA), Natal (RN), Salvador (BA), Vitória da Conquista (BA), Cuiabá (MT), São Paulo – Congonhas (SP), São Paulo – Guarulhos (SP).

Perfil.
Assim, como em Tiradentes e na Serra do Cipó, a maioria dos turistas que têm procurado Minas Gerais são os próprios mineiros, seguidos dos paulistas e dos cariocas. No entanto, a meta do governo Estado é colocar Minas Gerais no top 3 dos destinos nacionais. Atualmente, o Estado está atrás de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal.

Segundo Fernanda Fonseca, Superintendente de Marketing Turístico da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, a estimativa é que já no próximo ano o fluxo de turistas no Estado supere os níveis pré-pandemia. Em 2019, 30,4 milhões de pessoas vieram a passeio no Estado.

“Minas se tornou um Estado seguro para viajar e, principalmente, agora as pessoas têm buscado destinos com belezas naturais e culturais. Temos trabalhado para mostrar ao brasileiro a potência do Estado ainda mais agora que a tendência tem sido os destinos nacionais por conta das fronteiras fechadas”, explica Fernanda. 

Turismo corporativo 
Se para o turismo de lazer, a retomada completa é só uma questão de tempo, para o turismo de negócios, em Minas Gerais, a situação só tendem a piorar na avaliação da Diretora da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado (ABIH-MG), Patrícia Coutinho. 

Com o sucesso do home-office e das reuniões virtuais, a alternativa, segundo ela, será preciso se readaptar para sobreviver. “Vai ser preciso repensar o seu negócio seja alugando o hotel para um só grupo ou fazer day-use para que as pessoas de fora aproveite a infraestrutura com massagens e piscinas. Vai ser preciso se transformar em um centro de lazer”, analisa Patrícia, que estima que a recuperação ainda será lenta. 

“Estamos operando no prejuízo, os valores estão defasados. Água, luz, tudo está muito acima da inflação. É preciso que o governo e as prefeituras olhem para o turismo como uma potência. Países como a França, por exemplo, já viveram também da mineração e hoje se reinventou. O turismo é uma indústria limpa, democrática, gera negócios e renda”, pontua.  

Viagem segura
Veja quais são os protocolos a serem seguidos por hotéis e pousadas em Minas Gerais*

Onda Verde
– Limite de ocupação 100%
– Uso de máscaras obrigatório em todas as dependências do hotel
– Proibido serviço self service
–  A entrega de delivery, produtos farmacêuticos e de higiene, dentre outros deve ser entregue na recepção do hotel
– Disponibilizar meios para higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel a 70% com periodicidade mínima de a cada 2 horas, ou a qualquer momento dependendo da atividade realizada ou quando em contato com o cliente, incluindo antes e após a utilizar máquinas de cartões de crédito
– Instalar na recepção barreira fixa de vidro ou acrílico
– Estabelecer um horário pré-definido para a limpeza e desinfecção dos quartos

*As determinação valem para as cidades que seguem o Minas Consciente. As prefeituras que não aderiram ao programa estadual, como Belo Horizonte, tem o próprio protocolo.

Fonte: Governo de Minas

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis
Ouça o podcast do Tudo Em Dia:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui