A invencibilidade do Atlético no Campeonato Brasileiro chegou a 17 jogos neste sábado (9), no Mineirão, com a vitória por 3 a 1 em cima do Ceará, pela 25ª rodada. Os torcedores presentes no Gigante da Pampulha acompanharam os dois gols de Hulk e um de Diego Costa, que retornou de lesão e entrou no segundo tempo, em uma vitória tranquila do alvinegro mineiro construída ainda no primeiro tempo e “finalizada” nos minutos finais com o centroavante. O Ceará ainda descontou no fim, em lance revisado pelo VAR. 

Com a vitória, o Galo chegou a 53 pontos e aumentou a vantagem na liderança do campeonato. O Flamengo, vice-líder, que ainda joga nesta rodada contra o Fortaleza e tem outros dois jogos a menos do que o Galo, tem 39, empatado com o Palmeiras, mas leva a melhor no critério de desempate. Enquanto o Ceará, que quer se afastar de vez da zona de rebaixamento, segue na 13ª colocação. 

Magazine Brasil Líbano Dia dos Pais

O primeiro tempo de jogo foi dominado pelo Atlético em campo, com mais posse de bola, mais finalizações e ações criadas. O início do jogo foi mais complicado com o Ceará jogando muito fechado, fazendo cera e atrasando as saídas de bola. Aos 16 minutos, o goleiro Richard enrolava para repor a bola, quando Matias Zaracho chegou para tentar uma oportunidade. Dentro da área, o meia foi derrubado e o árbitro de campo marcou pênalti. O lance foi revisado pelo vídeo e a marcação foi anulada. 

CCAA Capinópolis

Depois, aos 30, Everson salvou o Galo de sair atrás do marcador. Vina finalizou de dentro da área com um chute forte de primeira, mas o goleiro atleticano se esticou e conseguiu fazer uma grande defesa. No lance seguinte, em uma jogada rápida de contra-ataque do Galo, que iniciou com belo passe de Jair para Hulk, o Atlético abriu o placar. 

Com a velocidade do atacante atleticano, aos 31 minutos, Hulk finalizou de perna direita direto para as redes do goleiro Richard, que nada pôde fazer. Jogadores e comissão técnica do Ceará reclamaram bastante de uma falta de Jair no lance do gol. O técnico Tiago Nunes chegou a ser expulso por reclamação, mas a arbitragem não viu falta. Depois disso, o jogo ficou mais parado do que com bola rolando.

Até que, aos 51 minutos, em uma bela jogada de Zaracho pelo lado direito, o meia argentino cruzou para área e a bola encontrou Jair, bem posicionado, que foi derrubado pelo marcador cearense. Depois de alguns minutos de revisão do lance, o árbitro marcou pênalti. Hulk foi para a cobrança, deslocou o goleiro e balançou as redes. 

Com os dois gols marcados no primeiro tempo, Hulk se tornou o artilheiro isolado do Campeonato Brasileiro com 10 tentos. Hulk não balançava as redes pelo Galo na competição há cinco partidas e vinha até sendo criticado por atuações ruins. A “zica” depois de perder o pênalti no primeiro jogo da semifinal da Libertadores parece ter passado para o jogador. 
 
No segundo tempo, o Galo desacelerou o ritmo, mas começou assustando em duas chegadas. O Ceará até que tentou diminuiu, mas Everson foi salvou de novo. Foi só na reta final que Diego Costa, que saiu do banco de reservas, balançou as redes. A assistência foi de Nacho Fernández, que também entrou na etapa complementar. O Ceará diminuiu nos acréscimos, aos 48 minutos, com Gabriel Lacerda, de cabeça, em lance que só foi confirmado após revisão do VAR. 

Atlético: Everson; Guga, Nathan Silva, Réver e Dodô; Allan, Jair (Tchê Tchê), Zaracho (Calebe) e Dylan Borrero (Diego Costa); Hulk (Eduardo Sasha) e Keno (Nacho Fernández). Técnico Cuca. 

Ceará: Richard; Igor, Messias, Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Fernando Sobral, Geovane (Gabriel Lacerda), Lima (Pedro Naressi) e Vina; Cléber (Mendoza) e Airton (Rick). Técnico: Tiago Nunes

Cartões amarelos: Jair (Atlético); Messias e Geovane (Ceará)

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis
Ouça o podcast do Tudo Em Dia:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui