Até o fim do ano, a ArcelorMittal pretende anunciar novos investimentos em mineração e aços longos em Minas Gerais. Sob o comando de Jefferson De Paula, novo presidente geral do grupo siderúrgico no Brasil desde o início deste mês, a intenção é já colocar em funcionamento os aportes no início do próximo ano. Impulsionados com o aumento da demanda, o ciclo de expansão terá execução prevista para os próximos três anos em todo o país. 

“Estamos terminando um estudo, que já está muito adiantado, em fase final, para fazer grandes investimentos no Brasil. Eu diria que são projetos vultosos e robustos para já começar no início do ano que vem, grande parte viria para Minas Geras”, adianta, De Paula, em entrevista a O Tempo, sem detalhar valores e mais detalhes sobre os projetos.

Magazine Brasil Líbano Dia dos Pais

“Nós somos uma empresa de sangue mineiro, vamos completar 100 anos em dezembro e nossa premissa é continuar nessa direção de estar a frente de seu tempo, permanecer inovadora. Nós acreditamos no Brasil, sabemos que tem dificuldades, mas queremos ter mais cem anos aqui”, destaca o CEO, que afirma não se assustar com a crise hídrica que assola o Brasil. “Não afetou a ArcelorMittal, acreditamos que o governo tem tomado as ações. Pelo menos 95% do nosso consumo de energia é renovável. Somos um grande consumidor, mas somos também um grande produtor”, pontua o novo presidente ao citar usina de Tubarão, no Espírito Santo. “Temos vários projetos de energias renováveis, eólica, solar, seja em contratos de longo prazo ou em sociedade”, destaca.

Sustentabilidade

CCAA Capinópolis

Com o objetivo de se tornar ainda mais sustentável, entre as metas do novo CEO, está o compromisso do grupo de se tornar carbono neutro até 2050. O objetivo é reduzir as emissões de CO2, no Brasil, em 10% até 2030. Globalmente, o grupo já se comprometeu com investimentos de cerca de R$ 1,9 bilhão para o desenvolvimento de tecnologias de carbono neutro. “A nossa emissão no Brasil já é menor que a média mundial, porque dois terços da produção vêm da sucata que gera menos gases. Mas mesmo assim queremos reduzir ainda mais”, diz.

Segundo De Paula, o grupo pretende ainda acelerar a inclusão de mulheres nos quadros da companhia. Até 2030, a meta é ter 30% de força feminina em todas as áreas da empresa, incluindo as atividades operacionais, administrativas e cargos de liderança. Atualmente, dos cerca de 17 mil empregados da ArcelorMittal Brasil, 14% são mulheres. Na área operacional, 7% são mulheres, e em cargos de liderança, 9%.

Presidência. Jefferson de Paula, ex-presidente da unidade de aços longos da ArcelorMittal, assumiu o cargo no início do mês. Com a aposentadoria de Benjamin Baptista Filho, que estava no cargo desde 2009, o comando do segmento de Aços Planos do grupo em toda a América do Sul será de Jorge Luiz Ribeiro de Oliveira, que também será vice-presidente da holding. Baptista Filho seguirá como presidente do conselho de administração do grupo.

 

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis
Ouça o podcast do Tudo Em Dia:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui