Com sete meses vestindo a camisa do Atlético, o meia argentino Nacho Fernández não vinha fazendo boas atuações. Mais cansado do que o habitual, desde que teve Covid-19, a principal peça do Galo no meio campo, antes titular absoluto, foi reserva em três jogos pelo Brasileirão e pouco fez. A história começou a mudar na vitória em cima do Santos na quarta. O jogador saiu do banco de reservas e embalou o Galo na virada. 

Desde que chegou ao Atlético, o técnico Cuca fala sobre priorizar a força do elenco fazendo rodízio entre os jogadores. Após a vitória em cima do Peixe, o treinador foi perguntado sobre a escolha por deixar o gringo no banco. O comandante afirmou que poupa Nacho para preservar e preparar o jogador para a reta final

Magazine Brasil Líbano Dia dos Pais

“Estamos preparando o Nacho dando a ele a condição ideal para que ele possa dar a arrancada final, porque a gente tem muitos jogos ainda. Perdemos o Hulk, hoje perdemos o Diego. Estamos sem o Vargas, sem o Savarino, sem o Arana. Então, a gente tem que pensar bem para não correr risco e ficar sem outros jogadores importantes também. Acho que a gente tem feito as coisas certas, na medida certa. Se precisar tirar um ou outro, vamos tirar”, disse Cuca. 

Hulk, Savarino e Eduardo Vargas foram desfalques por questões físicas na quarta e o atacante Diego Costa foi substituído no intervalo, porque estava com um desconforto na coxa. Com isso,  a lista de desfalques do Galo segue grande, mas deve diminuir a partir desta sexta-feira (15), já que os jogadores que estão com suas seleções retornam e já podem enfrentar o Atlético-GO no domingo (17), às 20h30. 

CCAA Capinópolis

“Agora a gente tem a volta dos jogadores com as seleções. Eu tenho usado o Réver, o Rabello, o Tchê Tchê, o Jair.. Hoje, nessa modernidade de jogar domingo e quarta, dentro da pandemia que teve acumulo de jogos, os jogadores já entenderam. É difícil hoje um cara sair chutando o balde, reclamando. Eles já entenderam que se usa o elenco inteiro. Sai o Keno, sai o Jair, amanhã sai o outro. Eles entenderam que não tiro para punir. Estou exercendo o direito que tenho de trocar por diversos fatores. Às vezes a parte técnica, Às vezes a física e às vezes pensando lá na frente também, que é o que fazemos com o Nacho”, afirmou o treinador. 

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis
Ouça o podcast do Tudo Em Dia:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui