CRV Industrial lança projeto “Anjo da Guarda” para reduzir os riscos de sono ao volante

Anjo da Guarda foi implantado na unidade mineira da usina
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
CRV Industrial desenvolveu o projeto "Anjo da Guarda"
CRV Industrial desenvolveu o projeto “Anjo da Guarda”

O cuidado com o próximo é um sinal de carinho e atenção. Para garantir a segurança dos motoristas canavieiros dos períodos noturnos, em especial B e C, a unidade da CRV Industrial de Capinópolis iniciou o Projeto Anjo da Guarda. A ação incentiva os colegas de trabalho a fazerem contato por rádio com o outro e assim, reduzir os riscos de sono ao volante.

O Centro de Operações Agrícola (COA) já desenvolve um trabalho similar, mas o projeto, que foi iniciado na última semana na usina, traz mais robustez para as ações de segurança e prevenção da unidade sucroenergética. Segundo o gerente de operações agrícolas, Vital Neto, o projeto pioneiro é piloto e pode ser estendido para a unidade goiana. “Estamos no meio da safra e a fadiga e a sonolência são sinais comuns dos nossos profissionais dos turnos noturnos. O Anjo da Guarda veio para agregar e trazer apoio a esses colaboradores”, explica.

Como funciona o projeto da CRV Industrial?

De acordo com o supervisor operacional, Manoel Leão, os colaboradores de cada turno, em torno de 22, foram divididos. “O motorista do caminhão final 01 tem que ligar pra o do final 2, e este tem que fazer contato para o de final 3, e, assim consecutivamente. Cada um é o Anjo da Guarda do outro, evitando a sonolência e os erros acometidos por conta dela”, explica.

O coordenador de planejamento e desenvolvimento, Iranildo Silva, complementa que as chamadas são rápidas e a ideia é que sejam realizadas a cada uma hora de trabalho. “Os motoristas já conhecem os percursos e sabem onde estão os trechos que geram mais sonolências – como as estradas com mais retas – e ficam mais atentos com os colegas. É uma parceria, no qual um cuida do outro”, explica.

Sono e o trânsito

Uma pesquisa de 2019 feita pela Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET) indicou que 42% dos acidentes nas ruas e estradas do país são causados pelo sono. Outros 18% são resultado da fadiga excessiva. Isso significa que dirigir com sono ou cansaço é responsável por 60% dos acidentes de trânsito no País, superando os dados relativos ao consumo de álcool e drogas.

Veja também:

Apoio:

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis

Bloqueador de Publicidade

Detectamos um bloqueador de publicidade no seu navegador. Por gentileza, apoie o jornalismo independente brasileiro

Refresh

error: A cópia do conteúdo do Tudo Em Dia é proibida