Mais de 50 anos de prisão: homem que matou a ex e outras 3 pessoas em igreja em Paracatu é condenado

O crime foi registrado em 2019. O julgamento de Rudson Aragão Guimarães foi realizado no Fórum Lafayette, em Belo Horizonte, na manhã desta segunda-feira (5)

Julgamento de Rudson Aragão Guimarães pelo homicídio da ex-namorada e outras três pessoas — Foto: Assessoria de Imprensa Fórum Lafayette
Julgamento de Rudson Aragão Guimarães pelo homicídio da ex-namorada e outras três pessoas — Foto: Assessoria de Imprensa Fórum Lafayette

Rudson Aragão Guimarães, que matou a ex-namorada, invadiu uma igreja e atirou contra três pessoas em Paracatu, no Noroeste de Minas, foi condenado a 54 anos e 8 meses de prisão em regime fechado. A condenação ocorreu nesta segunda-feira (5), em júri realizado no Fórum Lafayette, em Belo Horizonte.

De acordo com a sentença da juíza Fabiana Cardoso Gomes Ferreira, o júri considerou Rudson culpado pelo crime de feminicídio qualificado da ex-companheira e pelos homicídios qualificados das demais vítimas.

“A culpabilidade, enquanto juízo de reprovação da conduta imputada foi exacerbada, considerando que a vítima foi atingida com golpes de canivete, durante um encontro religioso na residência da irmã do denunciado, na presença da genitora e irmã do sentenciado e, ainda, na presença de uma criança, seu sobrinho, revelando extrema agressividade e frieza na prática do crime”, afirmou a juíza.

Entre as testemunhas ouvidas estava o pastor que o autor tentou atingir, que também é filho de umas das vítimas.

Em nota, o advogado de defesa, Rodolfo Ramos Caldeira, afirmou que está satisfeito com o resultado do júri , pois entendeu que o Rudson “teve um julgamento justo”.

Suspensões
O julgamento chegou a ser marcado para ocorrer em 2021, porém, o advogado do acusado interpôs recurso com o pedido de liminar, solicitando o desaforamento do julgamento.

A defesa alegou que existia dúvida sobre a imparcialidade do júri, pelo crime ter adquirido grande notoriedade em toda região. Assim, o júri foi remarcado, sendo realizado em Belo Horizonte.

Relembre

Ex-militar mata a ex, vai à igreja evangélica e mata outros três em Paracatu/MG

Ao todo, quatro pessoas foram assassinadas pelo criminoso (Foto: Reprodução)
Ao todo, quatro pessoas foram assassinadas pelo criminoso (Foto: Reprodução)

O ex-militar das forças armadas, Rudson Aragão Guimarães, na época com 39 anos, cometeu um massacre em ParacatuMinas Gerais, na noite do dia 21 de maio de 2019. O homem matou a ex-namorada na casa dela, seguiu até uma igreja evangélica e matou mais três pessoas.

Após matar a ex-namorada, identificada como Heloísa Vieira Andrade, de 59, Rudson Aragão Guimarães seguiu até a Igreja Batista Shalom, situada no Bairro Bela Vista e matou três fieis no templo.

Policiais Militares ouviram os disparos e seguiram imediatamente até a igreja. Rudson pegou uma mulher pelo braço e apontou uma arma para a cabeça da vítima — momentos depois, não quis negociar com os militares e atirou.

Rudson Aragão Guimarães (foto: Reprodução/Redes sociais)
Rudson Aragão Guimarães (foto: Reprodução/Redes sociais)

Um policial militar atirou contra o assassino, atingindo-o na clavícula. Rudson foi encaminhado em estado grave para atendimento médico, no entanto, não morreu.

As vítimas mortas na igreja foram identificadas como Rosângela Albernaz, de 50; Marilene Martins de Melo Neves, 52; e Antônio Rama, 67, pai do pastor Evandro Rama, que celebrava o culto no momento da ocorrência. 

Veja também:

Apoio:

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis