Novo lote de vacina da Pfizer contra Covid vai para 47 cidades de MG: veja lista

Governo ampliou cidades que podem receber o imunizante. Anteriormente, só Belo Horizonte estava apta devido a condições de conservação
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O governo de Minas Gerais informou que o novo lote de vacinas Pfizer/Comirnaty será distribuído para cidades com população acima de 79 mil habitantes, chegando a um total de 47 municípios no Estado. Pela manhã, o secretário geral do governo de Minas Gerais, Mateus Simões, havia afirmado que a leva de doses de vacinas da Pfizer contra a Covid-19 seria enviada a 70 municípios do Estado, o que não se confirmou. 

A distribuição da 20ª remessa de vacinas enviada pelo Ministério da Saúde a Minas Gerais no último dia 18, com 64.350 doses da Pfizer, terá início nesta sexta-feira (21/5) para as Unidades Regionais de Saúde (URSs).

A decisão foi tomada pela Comissão Intergestores Bipartite do Sistema Único de Saúde do Estado de Minas Gerais (CIBSUS/MG), coordenada pelo secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti. Anteriormente, apenas Belo Horizonte estava recebendo o imunizante, que tem condições de conservação específicas, devido à necessidade de baixas temperaturas. 

As cidades que vão receber doses do imunizante Pfizer são as seguintes:

Alfenas, Araguari, Araxá, Barbacena, Betim, Caratinga, Conselheiro Lafaiete, Contagem, Coronel Fabriciano, Curvelo, Divinópolis, Governador Valadares, Ibirité, Ipatinga, Itabira, Itajubá, Itaúna, Ituiutaba, João Monlevade, Juiz de Fora, Lavras, Manhuaçu, Montes Claros, Muriaé, Nova Lima, Nova Serrana, Pará de Minas, Ribeirão das Neves, Sabará, Santa Luzia, São João Del Rei, Teófilo Otoni, Timóteo, Vespasiano, Passos, Paracatu, Patos de Minas, Patrocínio, Poços de Caldas, Pouso Alegre, Sete Lagoas, Três Corações, Ubá, Uberaba, Uberlândia, Unaí e  Varginha.

Alguns critérios foram seguidos para seleção das cidades, além da população total, como o fato de que os municípios estão distantes, no máximo, 2h30 da capital, por modal aéreo ou rodoviário (veículo refrigerado), “a fim de ampliar a segurança da preservação da temperatura de transporte indicada (-15°C à -25°C), observada a estrutura atualmente disponível para logística”, informou o governo de Minas Gerais. Além disso, as unidades precisam comprovar mecanismos de agendamento para vacinação, que precisa ser duas vezes o total de vacinas disponibilizadas, formando uma lista de espera. O objetivo, portanto, é o consumo de 100% das vacinas em no máximo quatro dias. Isso porque, conforme informa o governo, “o  tempo de validade máximo após abertura do frasco, conservado entre 2°C e 8°C, é de 6 horas”. 

 

Veja também:

Apoio:

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis

1
2
3
4
5
1
2
3
4
5
1
2
3
4
5

Bloqueador de Publicidade

Detectamos um bloqueador de publicidade no seu navegador. Por gentileza, apoie o jornalismo independente brasileiro

Refresh

error: A cópia do conteúdo do Tudo Em Dia é proibida