STJ arquiva processo contra padre Robson, acusado de desvios de dinheiro em GO

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Padre Robson | Foto: Reprodução
Padre Robson | Foto: Reprodução

Fonte: CNN

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) publicou, nesta segunda-feira (18), certidão de trânsito em julgado para o processo que o Ministério Público Estadual de Goiás provocou contra o padre Robson de Oliveira, ex-reitor de Basílica de Trindade (GO). O documento arquiva definitivamente o processo, inocentando o padre Robson das acusações de supostos desvios de dinheiro enquanto era presidente da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe). O processo transitou em julgado, ou seja, não há mais recurso nos tribunais.

O advogado do padre, Pedro Paulo de Medeiros disse que o STJ havia confirmado a decisão do Tribunal de Justiça de Goiás, que entendeu que o sacerdote não teria praticado crime. O padre sempre negou as acusações.

Na denúncia do MP-GO, ele era investigado por apropriação indébita, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro doado por fiéis. O padre teria gasto mais de R$ 100 milhões na compra de casas, fazendas, e até um avião.

As investigações começaram em 2018 e foram reveladas em agosto de 2020, quando foi deflagrada a operação Vendilhões. O MP abriu então dois processos contra o padre: um criminal, que foi trancado no Tribunal de Justiça, e um cível, por improbidade administrativa no uso do dinheiro, que também acabou sendo trancado pela justiça de Goiás.

Em nota, a defesa do padre disse que, agora absolvido, ele “poderá finalmente continuar sua vida de evangelização, servindo à Igreja”.

O MP-GO ingressou com mandado de segurança no STJ, a ser analisado pela Corte Especial, na qual questiona a decisão da 6ª Turma em não admitir o recurso. Portanto, mesmo que tenha havido trânsito em julgado o primeiro processo, este ainda há esta ação para ser julgado.

Veja também:

Apoio:

Alexandre Santos Gomes advogado em Capinópolis

Bloqueador de Publicidade

Detectamos um bloqueador de publicidade no seu navegador. Por gentileza, apoie o jornalismo independente brasileiro

Refresh

error: A cópia do conteúdo do Tudo Em Dia é proibida